Polí­cia

Policiais civis da 10ª Delegacia Regional de Araguatins (10ª DRPC) e do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), com apoio da Polícia Civil do Maranhão, cumpriram, nessa segunda-feira, 02, o mandado de prisão de seis suspeitos de envolvimento na morte do ex-prefeito de Praia Norte, Gilmar Alves Pinheiro.

De acordo com o delegado da 10ª DRPC, Eduardo Morais Artiaga, responsável pela operação, após o crime, ocorrido em 26 de janeiro de 2016, em Praia Norte, uma equipe policial foi encaminhada ao local para iniciar as investigações. “Expedimos uma ordem de missão policial para diligenciarem em torno do fato. Os agentes procederam às investigações e constataram tratar-se de um crime mercenário. Nessa modalidade de crime, os executores normalmente são de outros Estados da Federação, tornando quase impossível alguma testemunha identificá-los”, afirma o delegado.

Ainda segundo o delegado, as investigações indicaram que o crime teria sido encomendado por Nivaldo S. B., 67 anos, e que os executores do ex-prefeito seriam; Gabriel F. S., vulgo “Gugu”, 27 anos, e Antonio C. S. S., vulgo “Cabeça”, 37 anos, ambos residentes, em Imperatriz (MA) . “Com a ajuda de José H. F. da S., 51 anos e Aguinaldo F. da S., vulgo 'Noa', 49 anos, Nivaldo chegou até Jairo L. M., também conhecido como 'Calendário' e sua filha Rute L. M., 20 anos. Estes dois últimos contrataram os executores do crime; Cabeça e Gugu”, afirma o delegado. A motivação do crime está sendo investigada. 

Os presos Rute, Antonio, Gabriel, Nivaldo e José Hamilton se encontram recolhidos na Cadeia Pública de Araguatins. Já Aguinaldo, na Cadeia Pública de Augustinópolis. As diligências da Polícia Civil irão continuar, no intuito de cumprir o mandado de prisão em desfavor de Jairo L. M..