Campo

Foto: Manoel Junior

Muito utilizado em captação de imagens para a publicidade, fotografia e outras produções audiovisuais, os drones (aeronaves não tripuladas de pequeno porte) podem também auxiliar pequenos, médios e grandes produtores em monitoramento de lavouras e até mesmo pulverizar defensivos em áreas de produção de difícil acesso como encostas e morros. Durante visita ao Centro Agrotecnológico de Palmas nessa quarta-feira, 4, o governador Marcelo Miranda recebeu orientações sobre o manuseio e utilização dos equipamentos.

Disponíveis no Pavilhão da Agricultura da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins 2016), que acontece em Palmas até o próximo sábado, 7, as instrumentações aviônicas estão sendo apresentadas ao produtor tocantinense como mecanismo direcionado de mapeamento de áreas agrícolas, topografia e agrimensura, cálculo de volume de barragens, mapas de falha de plantio, levantamento de curva de nível, entre outros.

Batizado de Zangão, a aeronave desenvolvida desde 2008, funciona por meio do Sistema Aéreo Remotamente Pilotado (microSARP). Já o Pelicano pode realizar atividades de pulverização em áreas de difícil acesso, transportando até 10 quilos de defensivos agrícolas por vez.

Segundo Daniel Estima Bandeira, diretor da empresa representante dos equipamentos, o drone pulverizador pode atingir um hectare de área cultivada em 15 minutos de automação. Já o drone de mapeamento consegue percorrer uma área de até 500 hectares em 30 minutos de sobrevoo. Com valores que variam entre R$ 60 mil a R$ 150 mil, os equipamentos podem inclusive ser adquiridos em linhas de financiamento como as do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). “Os equipamentos podem ser adquiridos também em empresas de locação ou cooperativas de produtores”, ressaltou.

Por: Redação

Tags: Agrotins, Daniel Estima Bandeira, campo