Campo

Foto: Carlessandro Souza

A Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas) oportuniza aos visitantes da 16ª edição da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins) uma experiência prática dentro do Projeto Jeito de Mulher, onde três instrutoras expõem na prática algumas tarefas predominantemente caracterizadas como masculinas, tais como, serviços de pedreiro e a arte de pinturas, texturas e efeitos decorativos em paredes. 

A participação destas profissionais casam com a filosofia do “Jeito de Mulher”, que tem como desafio a quebra de paradigmas buscando estimular e impulsionar o acesso feminino em áreas de trabalho consideradas para homens. A meta da Setas é capacitar cerca de 500 mulheres tocantinenses residentes na zona rural ou urbana, preferencialmente de baixa renda, na condição de desemprego, subdesemprego, e que almejem inserir-se nesse mercado de trabalho. 

Em visita in loco, a secretária Patrícia Amaral parabenizou as mulheres que estavam literalmente com a mão na massa, e como forma de demonstração e apoio a esse grupo, também interviu empilhando tijolos e pintando parede. 

“É aqui, na prática, que se pode observar realmente a eficiência feminina em desenvolver qualquer trabalho nessa área. A capacidade técnica e a qualidade dos trabalhos aqui desenvolvidos comprovam isso; lugar de mulher é onde ela quiser”, declarou a Secretária, enquanto recebia as dicas das profissionais.

Mão na massa

Por trabalharem na área há bastante tempo e já serem talentos reconhecidos em Palmas (TO), Lucilene Avelino de Souza, profissional há 17 anos, optou pelo exercício de levantar paredes por conta da necessidade em construir sua atual moradia. Na época, não tinha recursos financeiros e resolveu botar a mão na massa e aprender o ofício.

“No começo foi um pouco difícil. As pessoas têm dúvidas quanto à nossa capacidade em lidar com as tarefas de um pedreiro; mas após a surpresa inicial, quando os resultados começaram a aparecer, logo mudam de opinião”, declara.

Trabalhando com pinturas, texturas e efeitos decorativos em paredes desde 2007, Sonja Souza montou seu próprio negócio, e atualmente divide as tarefas do ofício com a sogra Rosalina, que com ela aprendeu a arte.