Cultura

Foto: Maradona

Artesanato em capim dourado e palha de babaçu, biojoias com sementes do cerrado, produtos em papel reciclado com fibras vegetais, utensílios e peças decorativas indígenas, sabonetes vegetais, trabalhos manuais em crochê. Esses são alguns exemplos de uma variedade de produtos artesanais que estão expostos no estande da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden), destinado ao artesanato e à cultura tocantinense.

Localizado no Espaço Inovar, da 16ª Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins), os visitantes têm a oportunidade de conhecer no estande a beleza do artesanato de sete associações do Estado, que foram selecionadas para participar do evento. Segundo o superintendente de Desenvolvimento da Cultura, Melck Aquino, mesmo a Feira sendo voltada para o setor agropecuário, é importante valorizar as iniciativas culturais, como o artesanato, que tem uma presença muito forte nas regiões rurais. “Abrimos este espaço da Seden, voltado para associações de artesãos do Estado, que estão aqui expondo as suas criações para pessoas do país inteiro e, ao mesmo tempo, comercializando esses produtos. Não é só uma demonstração da nossa produção cultural, mas essa iniciativa também promove a geração de renda para essas comunidades”, explica.

A artesã Raiane Cristina, da Associação de Agricultores Familiares de Santo Onofre, em Ponte Alta, trouxe peças exclusivas em capim dourado e diz que a associação já participou de todas as edições da Agrotins. “A Feira é muito importante para divulgar o trabalho dos artesãos e fazer contato com pessoas de dentro e fora do Tocantins. É por causa dessa divulgação aqui que recebemos encomendas, inclusive pela internet”, afirma a artesã.

Já Valdenice Pinheiro, representante da Associação Criarte, do Setor Lago Sul, em Palmas, está expondo produtos originais em papel reciclado com fibras vegetais. São baús, sacolas, porta-joias e diversos artigos decorativos. Ela explica que é a segunda vez que participam do evento e, por causa da divulgação, já receberam pedidos de encomendas de outros estados: “Os nossos produtos são feitos com material reciclado e também não prejudicam o meio ambiente quando descartados”.

Associações

As associações que estão expondo os seus produtos durante toda a programação da Agrotins 2016 são: Artesanato indígena Xerente, de Tocantínia, com artesanato em capim dourado, e peças tradicionais com a utilização de madeira, penas e palha de buriti e babaçu; Associação Criarte, do Setor Lago Sul, em Palmas; Artesãs do distrito de Taquaruçu, com a coleção “Tadiveiz”, estão expondo produtos de diversos materiais, como sabonetes vegetais, peças em crochê e trabalhos manuais; Cooperativa das Artesãs de Biojóias de Xambioá, com o projeto XambiArt, do município de Xambioá, que trouxeram biojoias feitas de sementes do cerrado e da Amazônia; Associação dos Feirantes da Feira do Bosque de Palmas, Associação dos Artesãos de Palmas e Associação de Agricultores Familiares de Santo Onofre, em Ponte Alta, todos com artesanato em capim dourado.