Economia

Foto: Divulgação

A promotora de Justiça Kátia Chaves Gallieta, que atua na área de defesa dos direitos do consumidor, promoveu, nessa quinta-feira, 12, reunião com cerca de 150 consumidores lesados pela empresa Aliança Online, acusada de aplicar golpe conhecido como pirâmide financeira. A reunião teve o objetivo de prestar orientações e informar sobre o andamento do processo judicial movido pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Segundo Kátia Chaves, já foi determinado pela Justiça o bloqueio de R$ 300 milhões de três contas bancárias, abertas em nome da empresa e de seu administrador, Ricardo Dantas de Macedo. Estão sendo aguardadas informações do Banco Central acerca da efetivação do bloqueio.

O MPE também está utilizando seu serviço de inteligência para localizar o endereço de Ricardo Dantas, a fim de que ele seja notificado da decisão judicial que o obriga a informar o nome das pessoas que investiram na Aliança Online, relacionando-os aos respectivos valores. Esses dados serão inseridos no processo judicial e servirão de parâmetro para o futuro ressarcimento às vítimas do esquema de negócios mantido pela empresa.

A promotora de Justiça afirmou que o MPE está atuando em favor de todas as pessoas que foram lesadas. Também orientou os presentes a guardarem toda a documentação referente aos investimentos realizados, sobretudo os comprovantes das transações bancárias – que devem ser fotocopiados e autenticados em cartório. “Os documentos deverão ser apresentados mais à frente, no momento oportuno do processo judicial, portanto precisam ser mantidos durante esse período em posse dos investidores”, disse Kátia Gallieta.

A 23ª Promotoria de Justiça da Capital criou um e-mail específico para se comunicar com os consumidores lesados pela Aliança Online. Assim, em caso de dúvidas ou de pedidos de esclarecimentos adicionais, os interessados devem enviar mensagem para: promotoriaconsumidorpalmas@gmail.com.