Polí­tica

Foto: Divulgação

A sessão da Câmara de Palmas desta terça-feira, 17, manteve o mesmo clima de conflito dos últimos 40 dias por conta da reestruturação dos blocos parlamentares. Enquanto isto nenhuma matéria de interesse da capital e da população é votada na Casa de Leis Municipal. O presidente da Câmara, Rogério Freitas (PMDB), ressaltou que os parlamentares da base do prefeito Carlos amastha (PSB), por perderem a liderança das principais comissões parlamentares, são orientados pelo prefeito Carlos Amastha a prejudicar os trabalhos da Câmara. "Brincar e fazer de conta é obra do executivo do município. O faz de conta é do Paço municipal, aqui nós fazemos aquilo que determina e é preconizado no regimento interno", frisou. Os vereadores da base do prefeito apresentaram requerimento solicitando a revisão da recomposição dos blocos. 

A oposição ao prefeito voltou a destacar que a recomposição foi realizada com diálogo e participação dos vereadores da base do prefeito que concordaram e, inclusive, assinaram o documento final da reunião na qual ficou definida a distribuição de vereadores por comissões.

Freitas sugeriu que o vereador José do Lago Folha Filho (PSD) proponha a mudança do Regimento Interno da Câmara, o que forçaria à revisão também da formação dos blocos parlamentares. “A mudança do regimento pode partir de qualquer vereador, desde que tenha dois terços dos votos”, disse. 

Coleta de lixo 

O vereador Lúcio Campelo (PR) comentou a decisão da justiça em determinar que a Prefeitura de Palmas contrate a empresa CGC para a realização da limpeza urbana de Palmas. Segundo o vereador, não existe boa vontade por parte da gestão em resolver os problemas da cidade. "A Prefeitura está recorrendo para ver se resolve o problema e diz que a Prefeitura pode ficar em estado de caos se tiver que parar os caminhões da coleta de lixo. A cidade está uma quebradeira danada. O que nós temos de caminhões, de moradores pioneiros que estão aqui parados, simplesmente contrata eles em caráter emergencial e cumpre a decisão da justiça, mas não existe boa vontade em resolver os problemas dessa cidade, para que os recursos dela fiquem na cidade. O esquema em cima desse lixo aí é altíssimo, mas nós estamos apurando e em breve vamos mostrar aqui para vocês, para ajudar a justiça nesse procedimento", afirmou Campelo.