Economia

Foto: Divulgação

A Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) reuniram empresários nesta última terça-feira, 17, para a apresentação da pesquisa realizada pelas instituições a fim de analisar o segmento e subsidiar a tomada de decisão. O 1º Encontro da Sondagem no Tocantins foi realizado da sede da federação em Palmas.

O gerente executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato Fonseca, falou sobre as pesquisas Sondagem Industrial, Sondagem da Construção, Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) e o Perfil da Indústria nos Estados que serão divulgadas na próxima semana no Tocantins.

Os indicadores das sondagens são apurados por meio de respostas a questionários online de empresários industriais selecionados pela CNI e mobilizados pelas federações nos estados. São avaliados fatores como expectativas de investimentos nos próximos 6 meses, estoques das empresas, condições financeiras, principais problemas enfrentados, condições gerais da economia, utilização da capacidade instalada, entre outros.

Sobre os números da indústria na região Norte, Tocantins e no Brasil, Fonseca destacou a queda no emprego e o otimismo do empresário tocantinense que está acima da média. “Em termos de expectativas para os próximos 6 meses o empresariado aqui está mais otimista do que no resto da região Norte e do Brasil, apesar de ter sofrido uma queda da produção e do emprego maior que a média do país”, avaliou referindo-se aos números do primeiro trimestre de 2016. O índice de Confiança do Empresário Industrial no Tocantins, por exemplo, chegou a 41,3 em janeiro enquanto na região Norte e Brasil o número era de 36,5.

O proprietário da Dunas Construções, Adriano Silva Morais, participou das pesquisas e do encontro e falou da importância da realização das sondagens. “Tendo um maior número de dados e informações a tomada de decisão se torna mais simples e menos danosa para a empresa, no caso de uma decisão errada. Quanto mais dados e informações puderem ser apresentados o empresário tem uma noção maior de qual decisão tomar”, disse.

O vice-presidente da Fieto, Emilson Vieira, representou o presidente da federação, Roberto Magno Martins Pires e destacou o conteúdo das pesquisas como  “balizadores para nortear as ações dos empresários”. Para a realização das pesquisas, a Fieto dispõe de uma Unidade de Desenvolvimento Industrial (UNIDES) assumida recentemente pela gerente Greyce Labre.