Saúde

Foto: Divulgação

Após aderir a campanhas como Outubro Rosa e Novembro Azul, o Brasil participa este ano do Maio Roxo. O objetivo é conscientizar a população sobre as doenças inflamatórias intestinais, que incluem a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa. O ápice da campanha ocorre, nesta quinta-feira, 19 de maio, quando é lembrado o Dia Mundial da Doença Inflamatória Intestinal.

A estimativa dos organizadores do Maio Roxo é que, em todo o mundo, 5 milhões de pessoas vivam com a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa. Ao todo, diversos países em pelo menos quatro continentes devem promover ações para marcar a data.

No Brasil, a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Chron propõe ampliar a conscientização e melhoria na qualidade de vida dos pacientes por meio de caminhadas e da iluminação de monumentos como o Elevador Lacerda, em Salvador; o Cristo Luz, em Balneário Camboriú (SC); e a Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre.

Enfermidade

A doença de Crohn e a retocolite ulcerativa afetam diretamente o sistema digestivo e fazem com que o tecido intestinal se torne inflamado, provocando feridas e sangramentos facilmente. Ambas as doenças causam impacto tremendo no bem-estar físico e emocional do paciente.

“Não há cura ou causa conhecida e pouco se sabe sobre a dor e o sofrimento crônico a que pacientes com doenças inflamatórias intestinais corajosamente se submetem todos os dias de suas vidas”, publicou o site da campanha, gerenciado por instituições que representam pacientes com doença de Crohn e retocolite ulcerativa em 36 países. (CNM)