Estado

Foto: Divulgação

Após apresentar propostas a médicos das regiões central e sul do Estado, integrantes da chapa 2 “Responsabilidade Classista” que disputam a eleição do Simed (Sindicato dos médicos no Estado do Tocantins) estiveram no início da noite dessa sexta-feira em Augustinópolis (633 km de Palmas, no extremo norte do Estado). 

Em contato com médicos do Hospital Regional da cidade, o candidato à presidência Hugo Magalhães e o integrante da chapa 2 Hilton Soares da Mota firmaram um compromisso: atuar pela valorização dos médicos do interior. “Temos propostas que integram e não deixam os colegas do interior, como aqui do Bico do Papagaio, isolados, desamparados”, afirmou Magalhães.

Os médicos de Augustinópolis, primeiramente, demonstraram satisfação pelo fato de os membros da chapa 2 terem se deslocado até o Bico do Papagaio para discutir a situação da classe. 

“Pelo simples fato de vocês virem aqui já é algo muito positivo e demonstra que, de fato, vocês têm interesse em nos ouvir. A vinda aqui já é uma prova que vocês querem mostrar e fazer algo diferente [na gestão do Simed]. Isso para a gente é muito bom”, disse o obstetra Rogério Lucena a Hugo Magalhães e Hilton Mota.

Com 38 anos de profissão, sendo 26 deles dedicados ao Bico do Papagaio, o médico Orlando Brito aproveitou a presença dos membros da chapa 2 para obter informações sobre alguns direitos que não estão sendo cumpridos. Outro que tinha muitas dúvidas era o clínico geral Rafael Livino. Os questionamentos dos médicos se deve ao fato de o sindicato ter pouca atuação na região.

Entre as propostas apresentadas estão o Plantão Judiciário 24 horas; estreitar relação entre a diretoria do sindicato e os profissionais da capital e do interior; criação de mecanismos que possibilitem que toda a categoria tenha informações das negociações, ações do Simed com o principal: direito de participar mais ativamente das decisões sobre as principais questões da categoria.  

Problemas e Propostas 

No hospital, Hugo Magalhães e Hilton Mota foram informados que, com a reforma, a parte estrutural do hospital melhorou consideravelmente, mas as condições de trabalho ainda são falhas. “Faltam materiais, insumos e medicamentos. Os colegas daqui, como outros, sofrem com atraso no pagamento dos plantões extras (há casos de 6 meses de atraso) e nos questionaram sobre progressões, que estão emperradas”, disse Magalhães. Ele detalhou a situação desses itens aos profissionais.

“Precisamos da confiança dos médicos para nos dar a vitória na eleição ao Simed. Vocês não se arrependerão porque terão colegas à frente do sindicato que vão brigar por direitos de todos sem restrição. Colegas de Palmas e do interior terão um grupo à frente do sindicato que tem como lema “nenhum direito a menos”. Prova disso é que estamos aqui para ouvi-los, saber de suas necessidades e trabalhar por elas”, finalizou Hilton Mota.