Cultura

Foto: Divulgação Companhia Carroça de Mamulengos Companhia Carroça de Mamulengos

O 3º Festival de Circo de Taquaruçu, de 23 a 29 de maio, reúne artistas de todo o País e alguns artistas estrangeiros. Com programação gratuita, a novidade desta edição é que o evento também apresenta vários espetáculos premiados. A companhia Carroça de Mamulengos é uma família ao pé da letra e veio do Ceará para apresentar o espetáculo, “Janeiros”, nessa sexta-feira, 27, às 20h, na Praça Joaquim Maracaípe. 

O grupo foi criado pelo casal Carlos Gomide e Schirley França em 1977 e atualmente é composto por seus filhos, com 10 a 12 integrantes. Segundo o grupo, o espetáculo traduz o novo momento da Cia e estão em cena os quatro irmãos: Maria Gomide, João Gomide, Isabel Gomide, Luzia Gomide e a filha de Maria, Ana. Com direção de Rodolfo Vaz e dramaturgia de Raysner de Paula e Maria Gomide, a Cia brinca com bonecos e conta suas histórias – vividas e inventadas, unindo lembranças e imaginação.

Diretamente do Uruguai para Taquaruçu, Mauro Cosenza apresenta o espetáculo “El Gran Enano” no último dia de festival às 19h, no Circo Os Kaco. Este palhaço com seu grande carisma, delírio e sua surpreendente energia, se atreve a modificar a realidade das pessoas que transitam por estes espaços os propondo uma maneira diferente de andar, mover-se e se relacionar, os introduzindo em mundo de jogos e improvisações. O espetáculo, que foi apresentado em diversos países, é uma mescla de água, fogo e uma infinidade de elementos em quarenta minutos de pura demência, risadas e habilidades!

Outros 

A Praça Joaquim Maracaípe recebeu dia 23 a Cia Nu Escuro (GO), com o espetáculo “Pitoresca”. A comunidade pôde acompanhar a vida de uma índia velha e grávida que observa com olhar crítico a história do Brasil há mais de 400 anos, período no qual ela presenciou a formação das identidades brasileiras. Em 2016, o grupo realiza uma turnê com 40 apresentações de norte a sul do País com patrocínio da Petrobrás.

Na manhã de terça-feira, 24, o Colégio Crispim Pereira Alencar recebeu a Cia Suno (SP), formada pelo casal Helena Figueira e Duda Becker. Dois palhaços chegam com monociclos carregando madeiras para uma obra. Realizam números de música, rola-rola e acrobacias diversas, sempre interagindo com o público. Assim é o clima de “Carpinteiro em Domicilio”espetáculo divertido e inusitado. A proposta é demonstrar habilidades técnicas de circo utilizando uma roupagem diferente. Neste processo a ideia é utilizar o palhaço longe do universo do circo e como ele lida com os elementos do dia-a-dia sem estar se apresentando.