Campo

Foto: Wilson Coelho

Termina nessa terça-feira, 31, o prazo para os produtores rurais tocantinenses vacinarem seus rebanhos contra a febre aftosa. Nesta primeira etapa, a vacinação é obrigatória para todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) indiferente da faixa etária. A campanha teve início no dia 1º de maio e a expectativa do governo do estado é vacinar 8,4 milhões de animais.

De acordo com a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), o produtor rural tem o prazo de até 10 dias, após a aquisição da vacina, para declarar o ato nas unidades da Agência, onde a ficha cadastral é movimentada, munido da nota fiscal de compra da vacina e da carta-aviso.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo ressaltou que a pecuária no Tocantins possui papel fundamental para a economia do estado, por isso, a vacinação do rebanho contra aftosa é uma forma de garantir e abrir novos mercados. “O nosso comércio de carne bovina vem crescendo a cada ano e adquirindo novos mercados, por isso, a manutenção do status de zona livre da aftosa com vacinação é importante para continuarmos exportando nossos produtos e fomentando a nossa economia”, pontuou Humberto.

O produtor rural que deixar de vacinar o rebanho pagará multa de R$ 5,32 por cada animal não vacinado e mais R$ 127,69 por propriedade não declarada. Além disso, ficará impedido de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento obrigatório para acompanhar os animais comercializados ou movimentados da propriedade.

Por: Redação

Tags: Aftosa, Humberto Camêlo, campo