Saúde

Foto: Camilla Negre

Até quinta-feira, 2 de junho, o Hospital Geral de Palmas (HGP) está com programação intensa de atividades voltadas a reflexão e a visibilidade da melhoria do acesso e qualidade dos serviços de saúde, do trabalho e da gestão.

Nesse período, acontece no hospital a I Semana de Humanização do HGP com atividades internas voltadas a usuários e colaboradores para otimizar o clima organizacional e promover melhorias nas rotinas dos setores. O objetivo da programação é compartilhar as experiências do SUS que dão certo na unidade.

A Política Nacional de Humanização (PNH), do Ministério da Saúde, prevê a humanização como valorização de todas as pessoas envolvidas com o cuidado em saúde e propõe diretrizes e dispositivos para fortalecer o trabalho: acolhimento, cogestão, gestão participativa, defesa dos direitos dos usuários e valorização do trabalhador, que podem ser implementados para contribuírem com a qualificação da gestão e do cuidado.

É neste contexto que se insere a Semana de Humanização, com foco na discussão dos modos de trabalhar, colaborar e cuidar. Durante a abertura da ação, nesta terça-feira, 31, a diretora geral do hospital, Renata Duran, agradeceu aos presentes e servidores da unidade e fez uma apresentação sobre a história do hospital, desde sua criação. Ela enfatizou ainda a necessidade de fortalecer o SUS. “Esse sistema precisa de ajuda. Sabemos que existem muitos desafios, mas podemos contribuir com algo”, disse.

A diretora falou ainda sobre avanços desde a inauguração do HGP, mostrando indicadores e números como, por exemplo, o número de servidores e terceirizados da unidade, que no total chegam a mais de 2.600.

A apoiadora da Política Nacional de Humanização, Alexandra Cardoso Souza, destacou a inclusão de novas tecnologias na programação da semana. “Parabenizo as novas tecnologias que vocês conseguiram incluir na programação. O Varal Cultural e a Feirinha de Troca são muito interessantes. Um olhar integral é pensar no contexto de saúde vendo o cidadão como um todo e não apenas a doença. São nesses espaços que damos voz ao usuário, ao trabalhador”, disse.

Já o secretário de estado da Saúde, Marcos Musafir, destacou a importância do HGP e do SUS para os tocantinenses. “Temos desafios enormes, mas aqui é um local da esperança, onde o cidadão do Tocantins tem o HGP como sua bandeira de salvação. Aqui ele confia e essa confiança é possibilitada pelos profissionais que fazem o hospital. Eu confio no HGP, o governador confia no HGP e a população confia no HGP. A humanização mostra isso, carinho e respeito”, lembrou

A coordenadora do Serviço de Humanização do HGP, Goiamara Borges, destacou que a I Semana de Humanização é um evento voltado a participação de trabalhadores, gestores e usuários do SUS, é um momento de aprendizado. “Vamos compartilhar experiências de humanização que dão certo aqui no HGP, o acolhimento aos pacientes, o trabalho que vem sendo realizado pela fisioterapia, e, além disso, as rodas de conversas que acontecerão no decorrer da programação. Tem sido uma experiência importante e motivadora para que continuemos trabalhando para efetivar os princípios do SUS”, enfatizou.

Programação

As temáticas abordadas durante a semana são variadas e se espelham em experiências e desafios dos trabalhadores de saúde.

Nesta quarta-feira, 1, haverá rodas de conversa sobre o Grupo de Trabalho de Humanização (GTH),  Acolhimento em Saúde, Direitos dos Usuários da Saúde – Ouvidoria, Terapia integrativa Comunitária: Cuidar de Si, Cuidar do Outro, Cuidar da Vida e Trabalho em Equipe, além de momentos especiais como a “Troca Solidária”.

O encerramento da programação acontece na quinta-feira, 2, com Oficina de Beleza.

Política Nacional de Humanização (PNH)

A PNH existe há dez anos no SUS para transformar a relação entre gestores, trabalhadores e usuários, de modo que cada um deles se reconheça como parte do sistema e contribua para melhorias.  Com um grupo de apoiadores atuando em todo o território nacional, o trabalho da PNH se baseia no apoio institucional às secretarias municipais de saúde, secretarias estaduais de Saúde, hospitais e coletivos de humanização, além da formação de gestores, trabalhadores e usuários.