Campo

Foto: Delfino Miranda

Os produtores rurais de bovídeos (bovinos e bubalinos) têm até sexta-feira, 10, para declarar, obrigatoriamente, a vacinação contra a febre aftosa nos escritórios da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec). Para comprovar a vacinação é preciso levar a nota fiscal da compra da vacina e a carta aviso com os dados do rebanho, por idade e sexo. A expectativa da campanha é de que 8,4 milhões de animais tenham recebido a dose da vacina. Alguns municípios já atingiram 100% do rebanho.

A multa para quem não vacinou é R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada. “Após o fim do prazo para comprovação da vacina identificamos os inadimplentes e realizamos a vacinação acompanhada, com intuito de vacinar 100% do rebanho”, alerta o responsável técnico pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, Márcio Rezende.

O Tocantins ocupa o 11º lugar no número de rebanho de bovídeos do país, distribuídos em mais de 52 mil propriedades rurais cadastradas com esses animais. Está há 19 anos livre da doença com vacinação celebrando altos índices vacinais. “Recentemente conquistamos a habilitação para exportamos carne industrializada para União Europeia, isto comprova a qualidade dos nossos produtos e o reconhecimento do nosso trabalho em parceria com os produtores rurais”, destaca o presidente da Adapec, Humberto Camelo.

Campanha

A venda da vacina contra febre aftosa é proibida fora do período das campanhas, salvo em casos excepcionais autorizados pela Adapec. A primeira etapa da campanha ocorreu entre os dias 1º e 31 de maio. Na segunda etapa, realizada de 1º a 30 de novembro, a vacinação é parcial abrangendo somente os animais com até 24 meses de idade.

Por: Redação

Tags: Adapec, Humberto Camêlo, Márcio Rezende, campo