Economia

Foto: Divulgação

Mesmo em meio à crise econômica, viajar nos próximos meses é a pretensão de 64% dos brasileiros, segundo pesquisa da Ipsos a pedido da Europ Assistance. Porém, dentre os que vão viajar, 66% afirma que pretende diminuir os custos dos passeios. Para o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos, a redução de custos depende da realização de um planejamento financeiro.

De acordo com Reinaldo Domingos, o período é propício para olhar para as finanças, pois é apenas conhecendo o padrão de vida atual que é possível estabelecer os gastos das férias de forma mais adequada. “Sem planejamento, este período que é tão bom, pode se tornar uma grande preocupação no futuro. Afinal, o parcelamento e o uso descontrolado do cartão de crédito tendem a comprometer a estabilidade financeira”, afirma o presidente das Abefin.

A orientação é reunir a família e conversar sobre quais são as expectativas de cada um para as férias, considerando em seguida os limites de gastos para tomar a decisão mais assertiva. Os sonhos que não puderem ser realizados agora não devem ser esquecidos, e sim considerados no planejamento das férias seguintes.

“Após fazer um diagnóstico de sua situação financeira, a família consegue analisar mais facilmente quais despesas podem ser reduzidas ou até mesmo eliminadas, e essas economias devem ser direcionadas à realização dos sonhos – tanto os individuais, quanto os coletivos. A maioria dos brasileiros aprendeu que o dinheiro serve apenas para pagar as contas, mas a verdade é que ele deve propiciar diversas conquistas durante a vida”, ressalta Domingos.

O período de descanso é propicio para viver momentos agradáveis, portanto a orientação é poupar dinheiro com antecedência para negociar descontos no pagamento de passeios e viagens, evitando o acúmulo de dívidas que reduz a força de pagamento e pode levar à inadimplência no futuro.

Conheça 6 orientações para preparar o bolso para as férias de julho:

1- O planejamento de uma viagem deve ser feito com antecedência para que seja possível controlar os gastos e evitar imprevistos;

2- O pagamento à vista é o mais indicado, visando a tranquilidade financeira após a viagem. Lembre-se de ter dinheiro para emergências;

3- Pesquise preços de passagens e hospedagens online, pois na internet há oscilações de preços e descontos expressivos;

4- A quem vai ficar em casa, é válido determinar o limite de gastos para o período e estabelecer os passeios com antecedência;

 5- Quem não tem tempo ou dinheiro, pode aproveitar a oportunidade para organizar as finanças e fazer um planejamento para as férias seguintes;

 6 - Nas férias de julho, acontecem gratuitamente diversas atividades culturais e de lazer. Conheça a programação de sua cidade e participe!

Reinaldo Domingos

Educador e terapeuta financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e autor do best-seller Terapia Financeira, entre outras obras.