Estado

Foto: Elini Oliveira Indígenas estão acampados em frente ao Câmpus Palmas da UFT Indígenas estão acampados em frente ao Câmpus Palmas da UFT

A Universidade Federal do Tocantins (UFT), Câmpus Palmas, abre espaço para a realização da III Assembleia dos Povos Indígenas dos Estados de Goiás e Tocantins. O encontro traz a temática "Na defesa dos Direitos Constitucionais dos Povos Indígenas, resistimos e denunciamos os impactos do Matopiba nos territórios tradicionais". O evento começou nessa segunda, 20, e finaliza na próxima quinta, 23, no Câmpus de Palmas. 

A Assembleia é uma iniciativa do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e de etnias do Tocantins e de Goiás. A proposta é discutir o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 215, o Matopiba, a saúde, o saneamento básico e a educação do povo indígena.

Ladolvina Pereira é uma das organizadoras e conta que outro objetivo da Assembleia é defender a questão territorial. "Os indígenas têm muita preocupação com o desmatamento, faltam muitas terras para demarcar”, pontua. Ladolvina ainda acrescenta que o agronegócio avança sobre as terras indígenas e prejudica a qualidade da água, culminando em problemas de saúde.

Matopiba 

A expressão Matopiba resulta de um acrônimo criado com as iniciais dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Essa expressão designa uma realidade geográfica que recobre parcialmente os quatro estados mencionados, caracterizada pela expansão de uma fronteira agrícola baseada em tecnologias modernas de alta produtividade.

Confira a programação abaixo:

Dia 21 de junho (terça-feira)

Manhã 

08h às 12h

Debate: Conjuntura local das Aldeias

Representantes das aldeias

Representantes do campo

Tarde 

14h às 18h

Mesa: Ameaças e desconstrução dos Direitos Constitucionais dos Povos Indígenas

Palestrantes/debatedores:

- Nailton Pataxó

- Leila Guarani

- Sandro Kayapó

- Cleber Cesar Buzatto

Noite 

18h30 – Jantar

19h30 – Lançamento do filme: Taego Awã

Dia 22 de junho (quarta-feira) 

Manhã 

08h às 12h

Mesa de debate: Os impactos do Matopiba nos territórios tradicionais e suas implicações nas mudanças climáticas

Palestrantes/debatedores:

- Antônio Apinajé

- Gecilha Krahô

- Ronivon Matias (Liderança camponesa)

- Ivo Poleto (FMCJS)

- Dr. Gustavo Kenner Alcântara 6ª Câmara

- Dra. Sandra Verônica Cureau 4ª CCR

- Dr. Álvaro Manzano – MPF – TO

Tarde - Coordenador: Antônio Apinajé

13h45 às 15h45

Mesa: Desterritorialização dos territórios dos povos Indígenas e Comunidades Tradicionais e a territorialização do capital e os conflitos no campo.

Palestrantes/debatedores:

- Prof. Alfredo Wagner Berno de Almeida – UFAM

- Debate com participação da plenária.

16h - Concentração da caminhada frente ao Colégio São Francisco

16h30 - Caminhada

Noite

19h – Jantar

19h30 – Pré-lançamento da campanha em defesa do Cerrado

Dia 23 de junho (quinta-feira) 

08h as 10h

Mesa de debate: Educação escolar indígena e os desafios de sua implementação nos povos indígenas e as perspectivas na Universidade.

Palestrantes/debatedores:

- Adão Oliveira – Secretaria De Educação – TO

- Laura Vicuña – CMI

 - Rogério Xerente – Conselho Estadual de EEI

- Maíra Tapuia – Universitários Indígenas

- Raquel Teixeira – Secretaria Educação – GO

Coordenador: Adriano Karajá

10h às 12h

Mesa de debate: Atenção e garantia à política de saúde indígena

Palestrantes/debatedores:

- Nailton Pataxó Hã-hã-hãe

- Antônio Fernando DSEI/GO

- Cléber Buzzato – CIMI

- Dr. Álvaro Manzano – MPF/TO

- Ivanezilha F. Noleto – DSEI

- Dra. Ana Paula Goes – MPF/GO

- Dr. Arthur L. Pádua – Defensoria Pública

- Dr. Rodrigo Rodrigues – SESAI

Tarde - Coordenador: Bonfim Xerente

14h às 18h

Mesa: Territórios demarcados e protegidos, direito dos povos Indígenas e responsabilidade do Estado Brasileiro.

Palestrantes/debatedores:

- Eduardo Batalha – Funai

- Flávio Silveira – Ibama

- Herbert Barros – Naturatins

- Dr. Álvaro Lotufo Manzano – MPF/TO

Coordenador: Evangelista Apinajé

16h às 18h30

Mesa: Defender os direitos da mãe terra e tecer o bem-viver.

Palestrantes/debatedores:

- Nailton Pataxó Hã-hã-hãe

- Laila Guarani

- Tabo Kayapó

- Tuira Kayapó

18h30 – Leitura e aprovação do documento final

Noite 

19h – Jantar

19h30 - Cantoria