Polí­tica

Foto: Benhur de Souza

O deputado Paulo Mourão (PT) apresentou requerimento na sessão ordinária na tarde dessa quarta-feira, dia 22, requerendo ao presidente da Casa, deputado Osires Damaso (PSC), que envie expediente, em regime de urgência, ao secretário de Infraestrutura do Estado do Tocantins, Sérgio Leão, pedindo celeridade na conclusão da ponte sobre o rio Tocantins, na TO-070, que liga o município de Porto Nacional a Fátima. “Reconheço o empenho dele, mas gostaria de pedir celeridade na conclusão dessa obra”, destacou.

Mourão justifica que a ponte de Porto Nacional encontra-se parcialmente interditada para veículos pesados, como ônibus e caminhões, desde setembro de 2011, por se encontrar em situação de risco. O processo licitatório já foi realizado, sendo que a Assembleia Legislativa já autorizou o Estado do Tocantins a buscar empréstimo para execução da construção de uma nova ponte.

No requerimento, o parlamentar alega que a demora na execução da obra retarda o escoamento da produção agrícola da região para o resto do País. “Após a interrupção do tráfego da ponte, justamente no trecho que dá acesso à BR-153, por meio da TO-255, inestimáveis prejuízos têm sido causados ao Tocantins, afetando a competitividade do agronegócio dos municípios de Palmas, Porto Nacional, Santa Rosa, Monte do Carmo, Ponte Alta, Silvanópolis, São Valério da Natividade, Taguatinga, Mateiros e Dianópolis, em um momento em se registra o crescimento da produção de soja, milho e a instalação significativa de agroindústrias nestas regiões”, diz o documento assinado por Mourão.

O requerimento finaliza destacando ainda que a construção da ponte de Porto Nacional irá contribuir com a geração de empregos e o aumento da renda, fortalecendo a economia local.

Obras paralisadas

Paulo Mourão aproveitou para destacar a discussão ocorrida na tarde desta terça-feira, dia 21, na Comissão de Administração, Trabalho e Defesa do Consumidor acerca das obras paralisadas no estado, com a presença da conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Dóris Coutinho, e do secretário de Infraestrutura do Estado, Sérgio Leão. “Foi uma discussão memorável, um debate muito interessante quanto às obras paralisadas no Estado que, pasmem, somam em torno de R$ 1,4 bilhões”, frisou.