Polí­tica

Foto: Divulgação

A Câmara de Palmas continua com a pauta trancada, desde o dia 30 de março. Os vereadores chegaram a realizar sessão extraordinária nesta última quinta-feira, 30, no sentido de solucionar o impasse, no entanto, a situação continua a mesma. Em entrevista ao Conexão Tocantins, o vereador Lúcio Campelo (PR) informou que os parlamentares estão de recesso desde hoje, 1° de julho. 

Segundo Campelo, todos os vereadores compareceram na sessão de ontem marcada para iniciar às 15 horas. "Ontem todos compareceram mas não destrancaram. A base só faz o que o prefeito manda, né. Compromisso deles é com o prefeito não é com a cidade", afirmou. De acordo com Lúcio, os vereadores da base do prefeito de Palmas, Carlos Amastha, tiveram três meses para colaborar. "Tiveram a oportunidade de fazer isso por três meses e quando dava quorum eles saiam para não votar, para não destrancar a pauta", disse. 

A pauta deve ser destrancada, segundo Lúcio, na próxima quinta-feira, 7, pois o presidente da Casa, Rogério Freitas (PMDB), convocou sessões extraordinárias e os vereadores da base do prefeito Amastha, teriam concordado pelo destrancamento. "Nós já estamos de recesso só que o presidente da Câmara convocou extraordinariamente durante o mês inteiro e fez uma conversa com o líder do governo (José do Lago Folha Filho (PSD)),  conversou com a base do governo e parece que eles firmaram o compromisso agora de destrancar na quinta-feira. Na terça-feira (5) nós estamos deliberando as comissões, os projetos, e aí na quinta-feira-feira (7) eles devem destrancar a pauta. Nós somos minoria e sem eles não tem como destrancar a pauta", afirmou. 

Lúcio disse que só resta torcer. "Vamos torcer que terça e quinta-feira a gente possa resolver essa pendenga aí e vamos tocar o barco", finalizou. 

O regimento da Câmara exige quorum mínimo de 10 parlamentares para a deliberação e votação de matérias.