Campo

Foto: Manoel Junior

O Programa de Melhoria da Qualidade Genética para bovinos de leite foi reiniciado em junho e já atendeu sete municípios no Estado, quando foram executados 132 protocolos. E nos dias 14 e 15 deste mês, será a vez de Santa Rosa, região Central, onde serão atendidas sete propriedades e realizados 40 protocolos de atendimentos em matrizes leiteiras.

O programa é uma ação da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), prefeituras e cooperativas, que fazem um cadastro dos interessados em cada município e orienta os produtores para que participem do projeto.

De acordo com a diretora de Pecuária da Seagro, Erika Jardim, o objetivo é ofertar aos produtores de leite a tecnologia da Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF). “Para o produtor, o único custo é com o exame de brucelose e com o sêmen a ser implantado nas matrizes. Outras despesas são custeadas pela Seagro”. A diretora frisa que melhorar geneticamente o rebanho é importante, principalmente para o pequeno produtor. “Com o aumento da produção é possível investir mais nos rebanhos e nas tecnologias, proporcionando independência ao produtor rural”, afirmou.

Os interessados em aderir ao programa, e melhorar a produção de leite em suas propriedades devem entrar em contato com o escritório local do Ruraltins ou na Seagro.

IATF

A Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF) tem várias vantagens com relação ao sistema convencional de inseminação artificial, conforme explica Érika Jardim. “Na IATF, o cio dos animais é alinhado, o que facilita o trabalho do produtor e reduz o intervalo entre os partos, além de poder programar a gestação para o período das chuvas, quando há maior disposição de pasto”, diz.