Polí­cia

Foto: Divulgação

As polícias Militar e Civil do Tocantins deflagraram, na manhã desta quinta-feira, 7, ações integradas na Operação Brasil Central Seguro, uma articulação estratégica em segurança com outros cinco estados vizinhos.

A operação consiste no emprego do efetivo administrativo e operacional de todas as unidades do interior e da capital Palmas, onde num primeiro momento o enfoque é o combate ao tráfico de drogas e apreensão de armas. Estão à frente da Operação o chefe do Estado Maior da PM, coronel Edvan de Jesus Silva, e o delegado geral em exercício da Polícia Civil, Roger Knevitz.

Estão sendo realizadas blitzes de trânsito nos pontos estratégicos e efetuadas abordagens em pessoas e veículos suspeitos. As atividades de policiamento ostensivo a pé e motorizado foram reforçadas. Também está sendo empregado o policiamento especializado da Polícia Militar por meio da Companhia Independente de Operações Especiais, compostas pelo Grupo de Operação com Cães (GOC), Rondas Táticas Ostensivas Municipais (ROTAM), Grupo de Intervenções Rápidas Ostensivas (GIRO), para o cumprimento de mandados de prisão, busca e apreensão, dentre outros em conjunto com a Polícia Civil do Tocantins.

Como resultados parciais, as Polícias Militar e Civil já cumpriram 17 mandados de prisão preventiva, 78 mandados de busca e apreensão, 13 Autos de Prisão em Flagrante (APF) e oito Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO), em diversos municípios como Miracema do Tocantins, Paraíso do Tocantins, Guaraí, Porto Nacional, Gurupi e Palmas.

Na região sul do Estado, no Posto Fiscal de Talismã, foi realizada abordagem a um veículo e localizada uma pistola Taurus calibre 380, 10 munições intactas calibre 12, dois carregadores e 35 munições calibre 380. O autor foi conduzido para a Central de Flagrantes de Alvorada para os procedimentos cabíveis. Em Axixá, norte do Tocantins, a PM apreendeu uma espingarda calibre 36, 12 munições calibre 22, além de dinheiro em espécie. Em Tocantinópolis foi apreendida uma espingarda e 22 munições. 

Apreensão na Capital

Delegacia Especializada na Repressão a Narcóticos (Denarc) efetuou a apreensão de aproximadamente 14 kg de drogas, duas armas de fogo, além de efetuar a prisão de 3 três pessoas por tráfico de drogas, na capital.  

Conforme o delegado Guilherme Martins Rocha, por volta das 11hs da manhã de hoje, as equipes da Denarc, deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão, na residência de Lucas M. R., vulgo “Paraguai”, devido a suspeitas de que o mesmo utilizava a própria casa como ponto de distribuição de drogas. Ao adentrar no imóvel, os agentes localizaram e apreenderam 21 tabletes de maconha, que totalizaram 12 kg da droga, 1 kg de cocaína pura, além de insumos para preparo e refino de entorpecentes, caracterizando um mini laboratório do tráfico.  

Lucas não foi encontrado pela polícia, mas sua esposa, Ronize T. B., de 23 anos foi presa e autuada em flagrante pela prática do crime de tráfico de drogas. Após os procedimentos cabíveis, a mulher foi recolhida à carceragem da Unidade Prisional Feminina de Palmas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. Ainda de acordo com o delegado, as polícias intensificaram as ações no sentido de localizar e prender Lucas, considerado foragido da Justiça.

Com o intuito de cumprir mais um mandado de busca e apreensão, os policiais deslocaram-se até uma kitnet, localizada no Jardim Aureny III, de propriedade de Gilson J. F., 26 anos, onde efetuaram o cumprimento ao mandado de busca e apreensão.  No imóvel, os policiais encontraram e apreenderam 1/2 kg de crack, além de um revólver 38, marca Colt, além de uma espingarda calibre 22, de fabricação artesanal.

Gilson e Paulo F. M., de 32 anos, que também se encontrava na casa, foram presos e autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de armas de fogo e, logo após os procedimentos cabíveis, foram recolhidos à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP) onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Coordenação

A coordenação operacional das ações em Palmas e região, no que compete à Polícia Militar, está sob a responsabilidade do Comandante do Policiamento da Capital, coronel Felizardo Ramos. Segundo ele, a Polícia Militar tem aprimorado ainda mais sua expertise em ações de combate ao tráfico de drogas e armas, o que tem resultado em uma maior eficácia das ações ostensivas. “Só na Capital estão mobilizados cerca de 130 policiais militares nessa Operação Brasil Central Seguro. Entendemos a importância de se trabalhar em conjunto e por isso a Polícia Militar tem feito o melhor possível para a segurança da sociedade”, ressalta o coronel Ramos.

No interior a Operação é coordenada pelo coronel Raimundo Aberson Sales Sobrinho, comandante do Policiamento do Interior da PM (CPI). 

Segundo o comandante Geral da Polícia Militar, coronel Glauber de Oliveira Santos, o alvo é continuar empenhado todos os esforços e recursos disponíveis para “promover a segurança da sociedade tocantinense através de ações efetivas e trabalho conjunto com os demais órgãos de segurança pública e estados da federação”, ressaltou o comandante.

Sobre a Operação Brasil Central Seguro

A execução da Operação Brasil Central é resultado das articulações entre os estados do Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, e também o Distrito Federal, através do Fórum de Governadores Brasil Central, que decidiram unir esforços no combate ao crime organizado.