Campo

Foto: Divulgação

Com vistas a aprimorar os conhecimentos para elaboração do plano de ação de adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA), inspetores da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) realizam visita técnica na Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), entre os dias 11 e 15 deste mês de julho. No foco, estão os estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Estadual (SIE) que já aderiam ao sistema naquele Estado.

De acordo com o presidente da Adapec, Humberto Camelo, os inspetores estão conhecendo a realidade de Goiás, que já aderiu ao Sisbi, vendo perto o trabalho que foi desenvolvido tanto na Agência quanto nas empresas. “Essa troca de informações possibilita mais subsídios para a área de inspeção aperfeiçoar as ações que visam atender os requisitos solicitados pela auditoria orientativa, realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no mês passado”, destaca.

 A gerente de Inspeção Animal da Adapec, Joseanne Cademartori, explica que estão sendo visitadas as fábricas de embutidos, abatedouro de aves, entrepostos de mel, granja leiteira, frigoríficos, entre outros. “Estamos observando as plantas estruturais dos estabelecimentos e todo o trabalho realizado pela inspeção, queremos estar preparados para atender os apontamentos feitos ao nosso Estado, e termos êxito na adesão ao Sistema”, ressalta destacando que a Agrodefesa é uma parceira de intercâmbio de informações técnicas.

Sanidade animal

A gerente de avaliação, controle e fiscalização animal da Adapec, LaudicéiaTeles, também participa do encontro com o objetivo de  verificar o funcionamento do sistema online, especificamente, quanto aos procedimentos realizados nos  estabelecimentos leiloeiros.

SisbiA expectativa da Adapec é de que até o final do ano, todas as adequações contidas nos apontamentos, feitos pela pré-auditoria do Mapa, sejam realizadas, para então, solicitar a auditoria final. Uma vez aprovado, o serviço de inspeção estadual e os estabelecimentos interessados, terá equivalência federal, o que representa ampliar o comércio dessas empresas, hoje restrito ao Estado, para todo o território nacional.