Cultura

Foto: Divulgação

O grupo Mandi´o de Dourados (Mato Grosso do Sul), prestigiado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2014, circula com o espetáculo “Ára Pyahu- des/caminhos do contar-se” no mês de julho, em Dourados, Campo Grande, Goiânia, Aparecida de Goiânia, Porto Velho e Palmas/TO. Além do espetáculo, o grupo oferece uma oficina sobre o processo corporal/vocal que conduziu o espetáculo, e a exposição deslocamentos que ilustra momentos do processo criativo nas aldeias. 

O grupo de dança-teatro Mandi´o nasce do emaranhado de linguagens; entre as artes da cena, o canto e a palavra, o palco e o chão de terra. Mandi´o quer dizer em guarani Mandioca, tubérculo que nasce profundo na terra, nos subsolos do Mato Grosso do Sul, desenvolve-se e se desdobra dentro do subterrâneo, para brotar verticalmente, anunciando-se. Cultivada por indígenas há milênios, esta raiz inspirou o nome do grupo pela necessidade que seus integrantes sentem de estar e imergir/emergir na/da terra; conhecer as culturas regionais e suas expressões, e refratar suas texturas em cena. O grupo é fruto do curso de artes cênicas da Universidade Federal da Grande Dourados ( UFGD ), onde atua como grupo de pesquisa extensão e arte.

Espetáculo

É nesta proposta que o espetáculo de dança-teatro “Ara Pyahu, Des/caminhos do contar-se“ consolidou-se, tendo a vivencia a campo, entre Indígenas Kaiowá e Guarani como principal caminho condutor. O espetáculo transpassa tempos míticos, históricos e midiáticos contando as histórias e caminhadas deste povo através de diversas narrativas expressadas significativamente pela dança. Neste processo artesanal, os artistas/bailarinos do grupo Mandi´o atuam como fiandeiros de contares, transformando palavras, sons e imagens em fios de dança, dramaturgia e cena, tecituras simbólicas trançadas em espetáculo.

Oficina e Exposição

Ao trançar diferentes realidades, perspectivas e percepções, nasceram outras poéticas para além da dança e do teatro, que cada artista subjetivou de forma diferente; em desenhos, fotografias e poesias. Nesta circulação o grupo irá compartilhar estas poéticas através de uma exposição coletiva que tem como título deslocamentos. A exposição apresenta objetos estéticos/artísticos, ilustrando algumas vertentes do processo de criação que deu corpo ao espetáculo “Ara Pyahu, Des/caminhos do contar-se”. Além da exposição, o grupo Mandi´o ministrará uma oficina sobre as práticas corporais e vocais que foram se constituindo no trabalho cênico, frutos das danças e dos cantos indígenas em composição com os conhecimentos e técnicas corporais do grupo.

Circulação

É, portanto, com esta proposta completa que o grupo, prestigiado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2014, irá percorrer 5 cidades em 4 estados federais diferentes: Dourados, Campo Grande no Mato Grosso do Sul, Goiânia e Aparecida de Goiânia em Goiás, Porto Velho em Rondônia, e Palmas em Tocantins. É com enorme prazer que o grupo irá compartilhar seus “caminhos do contar-se” na experiência de cada cidade, descobrindo-se diferente em cada realidade, prontos para que na possibilidade do encontro (re)nasça a possibilidade do fazer caminhos.

Datas e locais dos espetáculos 

Goiânia – 14/07 - 20h – Teatro Sesc Centro

Aparecida de Goiânia – 16/07 - 19h30 – Ponto de Cultura Cidade Livre

Porto Velho – 19/07 e 20/07 – 20h – Teatro Sesc Esplanada

Palmas- 23/07 – e – 24/07 – 19h – Teatro Sesc Palmas

Campo Grande – 28/07 – 20h – Teatro Prosa (Sesc) 

Por: Redação

Tags: Agenda Cultural, Mandi´o