Saúde

Foto: Divulgação Luana Piovani e funcionário da empresa 20/20 Luana Piovani e funcionário da empresa 20/20
  • Superintendente Ricardo Ribeirinha defendeu o programa

A atriz e modelo Luana Piovani publicou um vídeo em sua página do Facebook na última sexta-feira, 29, em que comenta a paralisação do projeto Caravana da Saúde, conhecido por Carretas da Saúde, no Tocantins. O programa foi suspenso no Estado por determinação da Justiça Federal em decorrência de irregularidades que teriam sido constatadas na prestação dos serviços. 

Enquanto aguardava no salão de embarque de um aeroporto, a atriz encontrou um funcionário da empresa 20/20 Serviços Médicos S/S, empresa responsável pelo Carretas da Saúde, que prestava serviços oftalmológicos clínicos e cirúrgicos a pacientes com idade superior a 55 anos, em unidades móveis assistenciais com abrangência para todo o Estado. Cirurgias de catarata estão entre os principais atendimentos pela 20/20. 

No vídeo, o funcionário que se chama Marcos Aurélio informa que só no Mato Grosso do Sul, em um ano, a empresa através do programa conseguiu realizar 30 mil cirurgias de catarata. Do Mato Grosso do Sul, a empresa veio para o Tocantins. No Estado, segundo o funcionário, após a realização de três etapas, o programa foi cancelado por briga política. "Fizemos três etapas lá e na última etapa, já estávamos com tudo montado para atender a população e aí teve embargo devido a politicagem. Claro que isso não é dito publicamente mas a gente acredita e sabe que é isso que acontece", disse o funcionário. 

"Você já imaginou o que é para as pessoas que não tem condições, que tem uma visão turva, ruim, sair enxergando com um ato desses?", questionou Luana Piovani no vídeo. A atriz disse que mesmo o programa sendo do Governo Federal quem ganha a fama pela realização dos serviços são os governos dos estados onde o programa é realizado. "A Caravana da Saúde chega em um Estado, mais aí o que acontece: quem fica com a fama, obvio, é o Governo do Estado, porque isso é bancado pelo Governo Federal. Daí fica o Governo do Estado responsável por essa generosidade. Os outros partidos políticos que não vão tirar uma lasquinha desse feito se incomodam e tentam entrar com liminar para cancelar o projeto. As pessoas não se importam com a população que vai ser beneficiada com essa maravilha e pensando no poder e no bolso tentam cancelar", criticou a atriz. 

Ainda de acordo com relato do funcionário Marcos Aurélio, além da politicagem, em muitas das cidades que o programa chega para realizar atendimento, funcionários (médicos) tentam denegrir a imagem da empresa. "Os próprios funcionários da área tentam denegrir a imagem da empresa porque eles deixam de receber o valor que eles cobram. Porque ali muitas pessoas estão sendo beneficiadas de graça. Inclusive a empresa 20/20 tem mais de 15 anos com esses serviços e inclusive é a única empresa aqui no Brasil certificada pela ONU", disse. O funcionário reforçou que o dono da empresa, que também realiza atendimentos, Fábio Vieira, é um dos melhores oftalmologistas que existe no Brasil. 

A cirurgia de catarata, por olho, custa em média R$ 2.500, segundo Marcos Aurélio. Em cada etapa três carretas realizam atendimentos sendo que uma é para consultórios e outra para cirurgias. "Inclusive todo o material que nós atendemos é de ponta. Muitos hospitais não tem nem os equipamentos que essas carretas tem", informou o funcionário. 

Piovani então completou: "Eu não conhecia esse projeto. Estou orgulhosíssima", parabenizou. "Vocês que estão aí em casa me assistindo tem que tirar o rabo de casa e de alguma maneira fazer algum tipo de movimento político para a gente tentar melhorar essa maravilha desse País que a gente mora mas que graças aos políticos e a gente não saber votar, está quase uma merda", afirmou. 

Superintendente comenta 

Na publicação da atriz, o superintendente de Juventude da Secretaria de Educação do Tocantins, Ricardo Ribeirinha, reforça as afirmações de que profissionais entram na justiça para barrar as ações do programa. "As Carretas da Saúde é um projeto do Ministério da Saúde, mas os médicos locais que cobram R$ 5 mil entram na Justiça para barrar as ações. Não só os políticos barram, mas a classe médica local também entram na justiça. Triste!", enfatizou. 

Ainda segundo o superintendente, o governador do Estado, Marcelo Miranda trouxe "este belíssimo trabalho aos tocantinenses, mas alguns deputados Estaduais não aceitaram o sucesso de duas etapas desenvolvidas no Tocantins. Guaraí e Paraíso do Tocantins! Infelizmente a justiça barrou as outras etapas sem mesmo ir ver os trabalhos, só dos gabinetes!", disse. 

Ribeirinha continuou: "As Carretas da Saúde estavam montadas na cidade de Dianópolis no Estado do Tocantins quando a justiça suspendeu devida denúncias da oposição ao atual governo do Estado do Tocantins! Osvaldo Baratins, líder desta região sabe da importância destas cirurgias aos mais necessitados. Mas as autoridades preferiram ouvir a força política do que ir verificar in loco os trabalhos desenvolvidos!", disse. 

Para Ricardo Ribeirinha, o programa incomodou interesses. "As Carretas da Saúde do Tocantins a preço SUS incomodaram interesses dos grandes opositores. O mais interessante que fizeram várias denuncias de irregularidades dos serviços prestados mas nunca foram in loco verificar. Ministério Público estadual, Ministério Público Federal e Defensoria Pública do Estado do Tocantins acolheram as denúncias, mas ir verificar jamais. Os papéis falam mais alto que os fatos! Vergonha!", frisou. 

Oposição

Uma das principais opositoras do projeto no Estado do Tocantins foi a deputada Luana Ribeiro (PDT). Na sessão do dia 20 de março de 2016, a deputada usou a tribuna para comentar a decisão da justiça federal. “Não sou contra o serviço das carretas, que atende milhares de tocantinenses. Sou contra a forma como foi feito, sem licitação e sem garantias para os pacientes”, criticou Luana, completando: "Eu mesmo fiz essa denúncia aqui nessa tribuna, há irregularidades na contratação da empresa e na contabilização dos serviços prestados", afirmou na sessão, naquela ocasião (Confira a sessão). 

Confira o vídeo em que a atriz Luana Piovani e o funcionário da empresa comentam sobre o programa.