Polí­tica

Foto: Conexão Tocantins Presidente regional do PSOL, Cassius da Assunção, informou a decisão da Executiva Nacional Presidente regional do PSOL, Cassius da Assunção, informou a decisão da Executiva Nacional

A coligação entre o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), em Palmas, foi considerada ilegal pela executiva nacional do PSOL. Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira, 3 de agosto, o presidente nacional do partido, Luiz Araújo, confirmou decisão pelo cancelamento da coligação. "Todas as coligações no Brasil inteiro foram analisadas pelo diretório nacional. No caso de Palmas, o diretório nacional, por maioria, considerou inadequada a coligação entre o PT e o PSOL, não porque temos vetos ao PT, pois estamos coligados, inclusive com o PT como cabeça de chapa em algumas cidades do Brasil", afirmou. 

De acordo com Luiz, a coligação foi considerada inadequada devido ser detectada uma tentativa de compra do partido pela candidatura majoritária do PT. "O problema é que detectamos a tentativa de compra do partido pela candidatura majoritária do PT. Consideramos um risco para a integridade do partido e decidimos desautorizar a coligação, realizar uma nova convenção e lançar candidato próprio", informou. Segundo Luiz Araújo, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) já foi informado sobre o fato. 

O presidente nacional do PSOL reforçou risco ao partido na coligação. "Detectamos um risco à autonomia do partido, a tentativa de fraudar o nosso partido em legenda de aluguel", disse. 

Na Capital, o PT defende o nome de José Roberto Forzani na disputa para prefeito de Palmas e Lucia Viana do PSOL era tida, até então, como pré-candidata a vice-prefeita. 

Em visita ao Conexão Tocantins o presidente do diretório estadual do PSOL, Cassius da Assunção, o secretário metropolitano, José Antônio Wolfe, e o pré-candidato a vereador, José Carvalho, informaram a decisão da Executiva Nacional. 

De acordo com Cassius, o presidente metropolitano do PSOL, Rodrigo Alves Gomes Silva, atropelou várias reuniões internas, não ouviu orientação da direção nacional do partido e tomou direção unilateral para que a coligação entre ambos os partidos acontecesse. "Houve um acordo que era para pegar orientação da nacional e depois que orientassem com a direção nacional eles iriam fazer o ato de coligação, fechar Ata. Então esse acordo não foi feito e não foi colocado na Ata porque não beneficiava a vontade dele (do presidente metropolitano)", disse.  

Cassius disse que os votos que decidiram pela coligação em Palmas foram dobrados durante a reunião do diretório metropolitano do PSOL. Segundo ele, o presidente metropolitano atropelou regras e colocou titulares e suplentes para votarem pela coligação "quando apenas na ausência do titular que suplente pode votar. O voto foi dobrado na mesma questão e não poderia", afirmou Cassius. 

Segundo Cassius Assunção, haverá o lançamento de chapa puro sangue pelo PSOL em Palmas, encabeçada por ele como candidato a prefeito, Sandra Leitão a vice e 29 vereadores. A convenção para confirmação deve acontecer às 19 horas desta quarta-feira, 3, na Câmara de Palmas. 

Decisão da Executiva Nacional 

Sobre as coligações eleitorais, a executiva nacional do PSOL decidiu por votação majoritária e registrada em Ata no dia 30 de julho, sobre o arco de alianças do partido, sempre considerando que a primeira proposta foi de que fossem aprovadas apenas coligações com a frente de esquerda (PCB/ PSTU). 

Ainda na questão, foram solicitados os seguintes destaques para os pedidos de coligações: recurso contra coligação do PSOL em Palmas/TO, solicitando que não fosse permitida a coligação com o PT na cidade. O recurso foi acolhido pela executiva nacional por 54 votos a favor, nenhum contrário e duas abstenções. Desta forma, foi negado o pedido de coligação com o PT na Capital. 

Metropolitano do PSOL

O Conexão Tocantins tentou contato com o presidente metropolitano do PSOL, Rodrigo Alves Gomes Silva, mas não obteve êxito nas ligações. 

PT 

O Conexão Tocantins também entrou em contato com o deputado, pré-candidato a prefeito de Palmas pelo PT, José Roberto Forzani que preferiu não comentar o assunto. Já a sua assessoria de imprensa informou que a coligação - Zé Roberto e Lucia Viana (PSOL) - será registrada em cartório ainda hoje. (Matéria atualizada às 11h37min)