Economia

Foto: Divulgação

O Governo do Estado e a Universidade Federal do Tocantins (UFT) apresentam à sociedade, nesta próxima terça-feira 9 de agosto, o relatório final do mapeamento e identificação dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) no Estado. O evento será realizado às 9 horas, no auditório do memorial Coluna Prestes (Praça dos Girassóis), em Palmas. O trabalho é uma realização do Núcleo de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais no Tocantins (NAPL/TO).

Arranjos Produtivos Locais são aglomerações de empresas, localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais, como governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa.

O mapeamento dos APLs no Tocantins foi iniciado em março deste ano, com a assinatura do Termo de Cooperação Técnica, celebrado entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden) e UFT, visando à elaboração do mapeamento e identificação dos aglomerados, a partir de dados levantados pela Seden e repassados para a UFT para tabulação e tratamento técnico.

No relatório, constam informações relacionadas aos setores mapeados, a exemplo de empregos formais gerados em cada setor, nível de distribuição dos empreendimentos nas regiões geográficas e nível de desenvolvimento das cadeias produtivas.

Políticas públicas

Segundo o gerente de APLs da Seden, Marcondes Martins, o relatório permitirá a identificação dos aglomerados e as informações nele contidas servirão para sinalizar quais os setores estão melhor estruturados. Suas informações servirão ainda como diagnóstico prévio para elaboração dos planos de desenvolvimento de cada setor.

O mapeamento dos APLs servirá para inserir o Tocantins no mapa nacional dos APLs, gerenciado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior. “A partir da inclusão dos APLs no mapa nacional, será possível a elaboração de políticas públicas voltadas aos setores produtivos mapeados no Estado, e subsidiará  instituições tocantinenses com informações para tomada de decisões”, explicou.

APLs no Tocantins

Ainda de acordo com as informações do gerente de arranjos produtivos Marcondes Martins, os pré-diagnósticos dos aglomerados, foi iniciado no Tocantins em 2011, gerenciado pela Seden, com a elaboração do plano de desenvolvimento do artesanato de capim dourado da região do Jalapão, e hoje já são cinco setores atendidos: piscicultura, cana de açúcar, artesanato com Capim Dourado, Flores Tropicais e a mandioca. O NAPL/TO realiza ações de mobilização institucional, formação de grupos gestores dos setores, elaboração de diagnóstico e plano de desenvolvimento.

“Os resultados que serão apresentados são de grande importância para o andamento das ações, permitindo que os aglomerados produtivos se tornem de fato APLs para fomentar cada setor e promover o desenvolvimento econômico do Tocantins”, pontuou Marcondes.

Por: Redação

Tags: