Saúde

Foto: Frederick Borges Palmas Queimadas na Serra do Carmo e Lajeado Palmas Queimadas na Serra do Carmo e Lajeado

A intensificação do período de estiagem no Estado tem gerado alterações na umidade relativa do ar. Dados coletados pelo Centro de Monitoramento da Defesa Civil Estadual apontam que das 14 cidades monitoradas, o município de Formoso do Araguaia registrou 11% de umidade na última segunda-feira, 08, o que representa “Estado de Emergência”. Já nos dados coletados nesta terça-feira, 09 todos os municípios encontram em “Estado de Alerta”, inclusive a Capital, Palmas.

Segundo os dados coletados às 16 horas desta terça-feira, estão em Alerta os municípios de Palmas, Pedro Afonso, Gurupi, Formoso do Araguaia, Peixe, Paranã, Dianópolis e Mateiros, sendo que todos estão com umidade entre 20 e 30%. De acordo com o diretor executivo da Defesa Civil, o major bombeiro Diógenes Madeira, a população precisa estar atenta aos perigos causados pela intensa estiagem. “Os efeitos das queimadas não prejudicam apenas o Meio Ambiente. Toda essa fumaça produzida gera complicações respiratórias na saúde da população que já sente os efeitos da baixa umidade. Todos precisam colaborar, evitando a exposição prolongada ao sol e em hipótese alguma, realizar queimadas em áreas florestais ou urbanas”, afirmou.

O médico otorrinolaringologista do Hospital Geral de Palmas, Eduardo lemos Silveira alerta com relação aos principais cuidados nesta época como umidificar o ambiente. “Quando umidifica além de sentir mais alívio a umidade do ar precipita faz com que a química da fuligem que está no ar ela desça, ela ajuda nestes dois fatores. É necessário a higiene e a limpeza das casas, para quem tem alergia, irritação e problemas respiratórios, evitar cortinados, vassouras, espanadores e manter a casa fechada para evitar a entrada de poeira e fumaça, é aconselhável toalhas úmidas e vasilhas de água e os umidificadores comerciais, ” esclarece.

Brigadistas

Para combater focos de incêndios florestais no Estado, Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), contratou 80 brigadistas para atuarem nos municípios que mais sofrem com o número de queimadas. Para o município de Formoso do Araguaia foram disponibilizados 10 brigadistas que já iniciaram os trabalhos de prevenção e combate ao fogo na região.

O Diretor de Instrumentos de Gestão Ambientais, Rubens Brito, informou que este ano o combate às queimadas, um ponto sensível que atinge diretamente o meio ambiente, possui um investimento de aproximadamente R$ 5,7 milhões para a contratação de brigadistas e a execução das ações relacionadas ao Projeto Cerrado-Jalapão. “O maior problema é que 90% do fogo é causado pela ação do homem. E este ano o clima está muito atípico o que favorece o aumento das queimadas, pois além de não ter chuva, a umidade baixa e a vegetação seca aumentam o risco do fogo", informou.

Naturatins

As equipes de brigadistas e guardas-parques dos Parques Estaduais do Cantão, Lajeado e Jalapão estão alertas sobre a baixa umidade do ar, tendo em vista o risco de incêndios florestais nestas unidades, que são de responsabilidade do Naturatins. Também estão alertas as equipes de fiscalização por causa da ação de pessoas que insistem em atear fogo em propriedades rurais, seja com objetivo do que é conhecido como “limpeza” de áreas, seja por motivações criminosas. Nestes casos, os responsáveis podem ser multados e até mesmo conduzidos pela fiscalização, que atua juntamente com o Batalhão de Polícia Militar Ambiental, a uma Delegacia de Polícia, onde pode ser indiciada por crime ambiental. Segundo técnicos do Naturatins, a baixa umidade contribui para que as queimadas fiquem fora de controle, dificultando a ação dos Bombeiros Militares e brigadistas civis.