Educação

Foto: Divulgação

Os professores do Colégio Militar de Palmas anunciaram em reunião com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTET) no fim da tarde desta terça-feira, 23, que vão aderir à greve da Educação a partir da próxima quinta-feira, 25.

Para o Sintet, a adesão é fruto de das mobilizações da categoria que acontecem de Norte a Sul do Estado. “Sem dúvida a adesão dos colegas do Colégio Militar reforça nossa luta. E precisamos mais do que nunca de união para enfrentar este desgoverno que finge que não vê nosso movimento, a nossa luta, e principalmente, a nossa insatisfação”, disse o secretário-geral do Sintet, Carlos de Lima Furtado.

Palmas

Ainda pela manhã, após concentração na Seduc, os professores em greve estiveram na assembleia legislativa, junto a trabalhadores de diversas categorias para pressionar os deputados a cobrarem do governador Marcelo Miranda uma resposta sobre a data-base.

Araguaína

Em Araguaína, a concentração do movimento grevista aconteceu na Praça das Nações. Em Palmas as deliberações sobre o movimento grevista acontecem todas as manhãs, a partir das 8 horas, em frente à Seduc.

Miracema

Em Miracema, professores se deslocaram do ponto de concentração pela manhã e foram até Tocantínia. Uma mobilização pedindo adesão aos colegas de categoria foi realizada pelo movimento grevista no Colégio Fé e Alegria.

Nas demais regionais, Araguaína, Tocantinópolis, Augustinópolis, Colinas do Tocantins, Guaraí, Miracema, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Gurupi, Dianópolis e Arraias, a concentração acontece nas sedes do Sintet.

Nesta quarta-feira, 24, a diretoria do Sintet realizará uma reunião com a executiva e presidente das regionais para fazer uma avaliação do movimento e tirar novos encaminhamentos.