Polí­tica

Foto: Divulgação Para Ataídes, a situação do Tocantins está passando dos limites Para Ataídes, a situação do Tocantins está passando dos limites

O senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) anunciou na manhã desta quinta-feira, 25, que pedirá ao governo federal intervenção na saúde do Tocantins. Em meio às atribulações em relação ao julgamento final do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, o parlamentar determinou a sua assessoria jurídica medidas para oficializar o pedido. “Estamos vivendo um caos sem precedentes no Tocantins. O principal hospital do Estado, O HGP [Hospital Geral de Palmas], sem comida para pacientes, servindo laranjas! É um absurdo, algo deplorável por parte de uma gestão, se é que podemos chamar esse desgoverno de gestão”, declarou.

Segundo o senador, o caos da saúde do Tocantins chegou ao ápice na terça-feira, 23, quando o estoque de alimentos do HGP ficou vazio. Fotos de panelas da cozinha do hospital apenas com água circularam pelas redes sociais. Na manhã dessa quarta-feira, 24, a situação caótica do hospital foi destaque no Bom Dia Brasil, da TV Globo, e repercutiu nacionalmente. A empresa fornecedora alega ter uma dívida de mais de R$ 70 milhões com o Estado, que não reconhece o total dessa pendência. Em razão do atraso no pagamento, a empresa disse ter interrompido o fornecimento.

O problema se repete por hospitais do interior e também no Hospital Infantil de Palmas. “Os demais hospitais do interior estão em situação ainda pior. O Hospital Infantil também está sem alimentação, um ato desumano contra até mesmo as crianças. Isso já passou dos limites. Se o governador Marcelo Miranda, como é provado, não tem competência para resolver o problema, temos que recorrer ao governo federal.E isso será feito”, complementou o senador.

Doações 

A alimentação só foi retomada após servidores e acompanhantes e membros da comunidades terem iniciado movimento pedindo doações para o hospital. “É uma atitude digna dos valorosos servidores do HGP e dos acompanhantes, mas é preciso cobrar a responsabilidade desse governo fraco, desumano, incompetente e que está levando o Estado para o buraco”, comentou.

Ataídes Oliveira lembrou exemplo da cidade do Rio de Janeiro, que, em 2005, teve intervenção na área de saúde autorizada pelo governo federal. À época, a gestão carioca devolveu à União quatro hospitais municipalizados e ressarcimento de R$ 135 milhões referentes aos gastos com programas do setor. “E hoje temos no Tocantins um secretário de saúde que veio do Rio de Janeiro [Marcos Musafir]. Ele deixou o caos lá e veio implantar o caos aqui. Onde Marcelo [Miranda] está com a cabeça?”, questionou Ataídes.

“Não podemos mais esperar alguma ação deste governo e do governador Marcelo Miranda. Um governo que arrecadou quase R$ 5 bilhões neste ano e deixa a situação chegar a esse ponto não pode continuar administrando. Dinheiro tem, falta competência e gestão”, finalizou.