Polí­tica

Foto: Divulgação Maioria dos deputados criticam o Governo do Estado por falta diálogo com os grevistas Maioria dos deputados criticam o Governo do Estado por falta diálogo com os grevistas
  • Servidores lotam as galerias da Assembleia Legislativa

Deputados estaduais discutiram na manhã desta quarta-feira, 31, as ações do servidores grevistas e a atitude do Governo do Estado com relação aos problemas que o Tocantins enfrenta. Para Vilmar de Oliveira (SD) falta disposição do governo para resolver os problemas do Estado. "É preciso que o governo bote a cara a tapa e procure resolver os problemas", disse.

O deputado Vilmar ainda disse que o desgaste dos problemas do Estado está caindo na Assembleia Legislativa. "O que parece é que o governo está querendo colocar o povo contra o Legislativo", sustentou. 

O deputado Paulo Mourão (PT) informou que soube pelo secretário de Planejamento David Torres que o secretário da Fazenda, Edson Ronaldo Nascimento, pediu desligamento. “Fiquei sabendo através do secretário doutor David que ontem tinha o pedido de demissão, de desligamento dos quadros do Estado, do secretário da Fazenda e que eles precisam do secretário da Fazenda para as justificativas e explanações”, disse Mourão. 

Mourão disse que o impasse entre o Governo do Estado e os grevistas deve ser resolvido com diálogo. "Não acredito que é obstruindo pontes, estradas que vamos achar solução. A solução vai se dar através do diálogo e da compreensão do momento que o Estado está vivendo", afirmou.

O deputado Paulo Mourão ainda disse que a realidade econômica do País faz com que os governos contenham despesas. "Os governos precisam ter um processo de contenção de despesas até para poder manter em dia os seus salários e nós precisamos ajudar a procurar saída, a solução para esse impasse que hora os estados brasileiros e nosso Tocantins vive", defendeu. 

Para Wanderlei Barbosa (SD), é lamentável a atual realidade do Estado. "É lamentável que isso esteja acontecendo no nosso Tocantins, é lamentável que tenhamos que passar por situações como estamos passando e os secretários evitem de vir a Assembleia para nos dar explicações mesmo estando convocados para vir aqui “, disse.

Barbosa disse que a falta de diálogo preocupa. "O que mais me preocupa é secretários evitarem de vir a Assembleia explicar o que está acontecendo. Se o governo vai ou não discutir com o servidor público. Não é uma questão apenas de mobilidade, é questão da sobrevivência das pessoas nos hospitais, da sobrevivência do ano letivo na Educação, de tantos outros pontos", disse. O deputado ainda disse que o governo está inerte. “Um governo que faz vista grossa a tudo que está acontecendo no Tocantins”, afirmou.

Caos 

Para o deputado Eduardo Bonagura (PPS) o que está acontecendo no Tocantins é a instalação de um caos. “Nós somos representantes da sociedade e os secretários são auxiliares de um governo que precisa funcionar e nós não podemos abrir mão e nem o povo tocantinense tem condições de deixar adiar por mais uma semana o caos que está se instalando”, afirmou. O deputado disse que a Assembleia Legislativa tem que tomar medidas drásticas.

Para Bonagura, o Governo do Estado está sendo apático. "Nós somos representantes do povo e os secretários do Estado se negarem a vir aqui conversar e debater a saída que nós vamos encontrar, isso é um absurdo, é dizer para a sociedade que não quer conversar. Não podemos encarar desta forma. Precisamos cobrar do Governo do Estado atitudes e o que estamos vivenciando é uma falta de atitude plena. Virar as costas para esse problema não vai resolver", criticou. 

Valdemar Júnior (PMDB) defendeu os servidores em greve. Para o deputado não é porque a crise está instalada que o diálogo deve ser fechado. "Entendemos a dificuldade que o governo está enfrentando, entendemos a crise que o País está passando mas não é porque a crise está instalada que o diálogo tem que ser fechado, pelo contrário, é neste momento que as portas das secretarias e do Palácio Araguaia tem que estarem abertas para dialogar e encontrar uma solução", defendeu. 

Já o deputado José Roberto Forzani (PT) disse que o governo não pode se esconder das dificuldades. “Se não der conta de resolver pelo menos tem que ter a clareza, a transparência e a honestidade de dizer para as pessoas que não dá conta de resolver”, disse.