Polí­tica

Foto: Divulgação

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE/TO) deve julgar hoje, a partir das 17 horas, o impasse entre a coligação em Palmas do Partido dos Trabalhadores (PT) e Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). A coligação de ambos os partidos foi considerada ilegal pela executiva nacional do PSOL. 

Ao Conexão Tocantins o presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, informou que o diretório nacional detectou risco à autonomia do partido, com a coligação PT e PSOL. Na oportunidade Luiz chegou a dizer que detectou tentativa de compra. O deputado José Roberto Forzani, do PT, é candidato a prefeito de Palmas e Lúcia Viana, do PSOL, candidata a vice- prefeita. O PSOL tem candidato próprio a prefeito de Palmas, Cassius Clay Assunção Fonseca e tem como candidata a vice -prefeita, Rosineide Riberiro da Silva Monteiro, do próprio PSOL. 

Na manhã de hoje, Cassius Assunção disse ao Conexão Tocantins que a expectativa para esta segunda-feira é de vitória. "Expectativa de vitória apertada. Se perder aqui vamos pro TSE", afirmou. Questionado sobre o posicionamento da candidata a vice-prefeita, Lúcia Viana, que mesmo com posicionamento contrário a coligação com o PT, registrou candidatura, Cassius falou em falta de respeito. "Acho que ela não respeita as decisões de instancia superiores. Está claro isso!", disse. 

Para a coligação "Avançar a Unidade Popular” representada pelo candidato a prefeito de Palmas Zé Roberto (PT) e a vice Lúcia Viana (PSOL), a expectativa é que se mantenha a sentença que foi protocolada por juiz em primeira instância que não atendeu aos pedidos formulados pelo diretório nacional e estadual do PSOL, tendo em vista que a coligação cumpriu com todos os requisitos da legislação eleitoral vigente, bem como as determinações que segue o estatuto. (Matéria atualizada às 13h52min)