Educação

Foto: Divulgação Segundo a Defensoria, as salas não possuem ar-condicionado, apenas alguns ventiladores Segundo a Defensoria, as salas não possuem ar-condicionado, apenas alguns ventiladores

As altas temperaturas no Tocantins provocam uma série de incômodos e até problemas de saúde, especialmente para as crianças. Para os estudantes da Escola Municipal Henrique Talone (204 Sul), conviver com o calor diário em sala de aula tem sido bastante difícil. Segundo a Defensoria, as salas não possuem ar-condicionado, apenas alguns ventiladores que, conforme os estudantes, não sana as elevadas temperaturas no local, principalmente no período vespertino. Além disso, frequentemente os ventiladores não funcionam devido às constantes quedas de energia elétrica.

O Nudeca – Núcleo Especializado de Defesa da Criança e do Adolescente, da Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE/TO), foi acionado pelos pais dos estudantes, que reclamaram a urgente necessidade de climatização adequada no local. A defensora pública Maria do Carmo Cota, coordenadora do Nudeca, esteve no local na tarde de sexta-feira, para verificar a situação do espaço e dos estudantes. Na ocasião, ela recebeu abaixo-assinado de pais de alunos, assinado por cerca de 80 pessoas, reclamando da urgente situação.

Vistoria

Conforme os pais, os estudantes estão passando mal durante as aulas em virtude do calor excessivo. Problemas como falta de concentração nas atividades diárias, tonturas, diarreias e até desmaios foram relatados como consequência da falta de climatização adequada.

O relatório da Defensora Pública feito após a vistoria aponta que a Escola Municipal Henrique Talone possui 12 salas de aula, com uma média de 25 a 30 alunos em cada sala, nos períodos matutino e vespertino. “Dentro de cada sala há três ventiladores, que frequentemente não funcionam por causa da queda de energia. Inclusive, no momento em que fizemos a vistoria não havia energia elétrica no local”, descreve Maria do Carmo Cota.

Foi verificado ainda que há ar-condicionado somente nas salas da administração e na cantina. Alguns alunos têm levado água congelada de casa para tomar ao longo de dia e tentar suportar o calor. “Aqui é muito quente. Se não for assim, não tem como, a gente passa mal, tem até dor de barriga”, reclamou uma das crianças.

Diretoria

A diretoria da escola informou que há um projeto para reforma da escola na Secretaria Municipal de Educação que inclui a climatização das salas de aula, trocar as janelas e colocar toldo no espaço de lazer/ alimentação, dentre outras necessidades do espaço, porém, o projeto ainda não foi executado.

A Defensoria Pública encaminhará o relatório e o abaixo-assinado dos pais à Secretaria Municipal de Educação e, na próxima semana, a coordenadora do Nudeca deverá se reunir com o secretário para que sejam tomadas as devidas providências.