Polí­cia

Foto: Divulgação

Na última quinta-feira, 22, uma ação conjunta realizada pela Polícia Civil e pela Polícia Militar, em Porto Nacional, resultou na prisão em flagrante de Marcos M. de O., 40 anos e Sebastião E. de A. G., 44 anos. Os dois homens são os principais acusados de assassinar a tiros, o fazendeiro Gilson de Oliveira Gomes, 62 anos, crime ocorrido na fazenda de propriedade da vítima, localizada na zona rural de Nova Rosalândia, no final da tarde da última quarta-feira, 21.

Conforme o delegado Rodrigo Santili do Valle, responsável pelo caso, por volta das 23h40min da última quarta-feira, policiais militares faziam patrulhamento de rotina, nas imediações da Avenida Beira-Rio, em Porto Nacional, quando se depararam com um veículo, Fiat Strada, de dor branca, placas de Cristalândia-TO, o qual era ocupado por dois indivíduos em atitude suspeita.

Os policiais então fizeram a abordagem e notaram que havia marcas de sangue, na lateral e também na carroceria do carro. Ao indagar sobre a procedência da pick-up, os homens disseram que haviam pegado o veículo emprestado de Marcos M.. 

Os policiais foram até a residência do indivíduo, que afirmou que a camionete, na verdade, pertencia a seu patrão Gilson e que ele havia emprestado o carro. Marcos também disse que o sangue encontrado no veículo era de um porco, que havia matado e trazido para seu irmão, em Porto Nacional.

Os policiais entraram em contato com a polícia de Cristalândia e, após algum tempo, confirmaram que o fazendeiro Gilson e seu carro estavam desaparecidos. Desta maneira, no início da manhã, eles voltaram à casa do irmão de Marcos, no entanto ele havia se escondido em outra residência, onde foi preso.

Na Delegacia, Marcos confessou que seu patrão estava morto e que havia deixado seu corpo, em uma estrada vicinal, as margens da rodovia TO 255, a cerca de 20 km de Porto Nacional. No entanto, o indivíduo apontou Sebastião como sendo o autor dos disparos de espingarda que mataram o fazendeiro.

Os policiais civis e militares então foram até o local, onde encontraram o corpo de Gilson, sendo providenciado sua remoção para o IML de Porto Nacional. Marcos forneceu o paradeiro de Sebastião, o qual foi preso por policiais civis e militares, quando se encontrava na fazenda de um ex-patrão, na zona rural de Cristalândia.

Confrontado com os fatos, Sebastião confessou, segundo a Polícia, que matou Gilson, devido a uma suspeita de que o fazendeiro havia contratado pistoleiros para matá-lo. Todavia, ele afirmou ainda que Marcos foi o responsável por colocar o corpo na carroceria da pick-up, não sabendo mais de seu paradeiro.

O homem também disse aos policiais civis que a arma utilizada no crime estava escondida em sua propriedade rural, localizada em Cristalândia. Os policiais foram até o local, onde encontraram e apreenderam uma carabina calibre 38, bem como uma espingarda calibre 22, que estavam escondidas, embaixo de uma árvore.

Diante das evidências, Marcos e Sebastião foram autuados em flagrante por homicídio qualificado, mediante emboscada e, após os procedimentos cabíveis, encaminhados para a Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

O crime

De acordo com as investigações da Polícia Civil, Marcos e Sebastião ficaram escondidos nas proximidades da fazenda de Gilson, quando, por volta das 18 horas da tarde da última quarta-feira, 21, o homem, chegou à sua fazenda, na zona rural de Nova Rosalândia. Nesse momento, Marcos M. veio ao encontro da vítima e passou a conversar com ela. Minutos depois, Sebastião saiu de seu esconderijo e, armado com uma espingarda, efetuou três disparos contra Gilson, que veio a óbito no local. (SSP)