Cultura

Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira, 6, a Companhia de dança independente Carne Agonizante, de São Paulo, inicia a temporada de apresentações em Palmas/TO. Hoje é a vez do espetáculo ‘O Canto Preso’, já amanhã, o ‘Estado independente’, e ‘Colônia Penal’, no dia 08. As montagens serão encenadas no Teatro Sesc, com sessões sempre às 20h.

Os ingressos estão sendo vendidos através do site  a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).  O grupo, fundado em 1997, já participou de diversos festivais de dança em todo o País e essa é a primeira vez deles na capital do Tocantins.

"O Canto Preso é, uma adaptação coreográfica do texto teatral ‘Bent’, de Martin Sherman, dirigida por Sandro Borelli. O espetáculo tem como temas centrais o preconceito e o nazismo, Bent conta a história de um homem perseguido e preso por ser homossexual. Para amenizar seus horrores no campo de concentração, ele se fez passar por judeu, pois sabia que os homens que detinham o triângulo rosa em suas vestes estavam sendo massacrados pelos guardas da SS e humilhados pelos presos. Nesse lugar de sofrimento e extermínio em massa, se apaixona por outro homem de quem se torna amigo e amante.

Em ‘Estado independente’, que será apresentado na sexta-feira, 07, a Cia. repercute as questões existenciais que levam o indivíduo, em grupo, buscar uma saída que lhe permita sonhar com um mundo socialmente justo, honesto e ético. A pesquisa e a criação do espetáculo se apoiam na revolução política e poética proposta por Ernesto ‘Che’ Guevara nos anos 50 e 60, na figura lendária do guerrilheiro “cidadão do mundo” como ele próprio se definia, e na sua permanência no imaginário coletivo como um personagem de espírito incorruptível, indomável, e disposto a lutar contra a injustiça social.

Por fim, o espetáculo ‘Colônia Penal’, com apresentação no sábado, 08, é inspirado na obra homônima de Franz Kafka. O trabalho politizado propõe que o insólito e o absurdo possam ser percebidos em várias situações como em uma detalhada descrição de métodos de tortura dos regimes antidemocráticos abrigando e encobertando assassinos, na cruel e irônica omissão de um observador estrangeiro e na estranha relação entre o poder oficial e o condenado.

Os espetáculos, dirigidos pelo coreógrafo Sandro Borelli, foram selecionados pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015 e são realizados pelo Cia. Carne Agonizante, Ministério da Cultura, Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Governo Federal.  Apoio – SESC Palmas e Cooperativa Paulista de Dança.

Por: Redação

Tags: Agenda Cultural, Carne Agonizante