Saúde

Foto: Luciana Barros

Após o Outubro Rosa, dedicado à conscientização das mulheres sobre os cuidados com a saúde, principalmente quanto à prevenção do câncer de mama, chega o Novembro Azul com foco na conscientização do público masculino a respeito da importância, prevenção e cuidados que os homens devem ter com a saúde de forma geral.

Em todo o Estado é executado pela Área Técnica da Saúde do Homem, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) com atenção especial para a faixa etária de 20 a 59 anos. Segundo informações da área, “comparado às mulheres, os homens mostram considerável precariedade do autocuidado. Dentro da faixa etária de cobertura da PNAISH os homens de 50 a 59 anos são os de maior mortalidade”.

De acordo com dados da área técnica, as doenças mais recorrentes em homens no Tocantins e as causas de mortalidade são as doenças infecciosas e parasitárias, neoplasias (tumores), doenças do aparelho circulatório, doenças do aparelho respiratório, doenças do aparelho geniturinário e outras.

Segundo o médico cardiologista do Hospital Geral de Palmas (HGP), Genildo Ferreira Nunes, é importante, além do tratamento das doenças, fazer a prevenção, o que, muitas vezes, evita que a pessoa adoeça e ainda tem impacto no quesito financeiro, pois evita gastos maiores com tratamento de doenças complexas. “Assim como doenças como câncer de próstata, as doenças cardiovasculares devem ter uma atenção especial, pois são as que mais matam, até mais que acidentes de trânsito. Os fatores de risco como obesidade, sedentarismo, diabetes, tabagismo e alimentação inadequada também devem ser trabalhadas para evitar que o paciente venha ter derrame ou infarto, o que além de ter um gasto maior tira o indivíduo da população economicamente ativa. Prevenir as doenças através de uma mudança de estilo de vida e controle de fatores de risco é imprescindível para a saúde da população de uma forma geral”, destacou.

Saiba mais

O Novembro Azul alerta para os cuidados com a saúde do homem, incluindo a prevenção e o combate ao câncer de próstata. Contudo, o alerta estende-se a outras, como apontou o Ministério da Saúde, após implementar a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), que indicou outras necessidades e peculiaridades relacionadas à saúde, algumas resultando em índices de morbimortalidade até mesmo maiores que os índices do câncer de próstata, foco até então da campanha.

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem trabalha com cinco eixos prioritários: acesso e acolhimento; paternidade e cuidado; doenças prevalentes na população masculina; prevenção de violência e acidentes; e saúde sexual e reprodutiva.