Estado

Foto: Divulgação

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto), Roberto Magno Martins Pires, participou do Seminário Infraestrutura e Desenvolvimento do Brasil, realizado nesta terça-feira, 08/11, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com o jornal Valor Econômico em Brasília. A abertura do evento foi feita pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, e o presidente da República, Michel Temer. 

Em seu pronunciamento, Andrade afirmou que o caminho para a recuperação da economia passa necessariamente por uma maior participação da iniciativa privada nos investimentos e na gestão de empreendimentos. “O restabelecimento da confiança na economia brasileira está associado à ampliação e à modernização da infraestrutura logística, energética e de saneamento básico”, frisou. Avaliou ainda que a disponibilidade, os custos e a qualidade na oferta dos serviços de infraestrutura repercutem diretamente na competitividade do produto nacional e na atração de novos investimentos produtivos ao país.

Temer observou que tem conversado com frequência com o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, sobre a importância da retomada da confiança no país, que, segundo ele, passa fundamentalmente pela geração de empregos. "Quando se fala em gerar empregos, fala-se no incentivo à indústria. A superação dessa crise tão aguda exige um cuidado, um trabalho extraordinário que nos permita seguir adiante. Devo dizer que esse é um ciclo perverso que estamos desmontando", disse.

Outros fatores importantes para a recuperação econômica, conforme o presidente Temer, são a reforma da Previdência e o ajuste dos gastos públicos. Ele comentou que o governo se empenhou muito para aprovar na Câmara a PEC 241, que impõe limites aos gastos dos três poderes. A matéria será ainda apreciada pelo Senado.

Programa de Parcerias de Investimentos – De acordo com o presidente da CNI, o Programa de Parceria em Investimentos (PPI), lançado oficialmente em setembro pelo governo federal, se mostra como um caminho para a reversão do atraso na agenda de infraestrutura. Segundo ele, o PPI poderá acelerar as concessões e aumentar a participação do setor privado na infraestrutura. Andrade também manifestou que a CNI defende a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 241.

“A aprovação da PEC 241, que impõe limites aos gastos públicos, pelo Senado Federal e a modernização da legislação sobre a exploração dos blocos de petróleo e gás serão fundamentais para uma agenda nacional positiva. Da mesma forma, reveste-se de extrema importância um robusto programa de privatizações e concessões de rodovias, aeroportos, portos, ferrovias e energia”, destacou Andrade.