Cultura

Foto: Divulgação Ninfa Parreiras Ninfa Parreiras

O Sesc realiza a partir deste dia 16 de novembro a oficina de leitura e criação literária “O escrever como processo de identidade”, com Ninfa Parreiras (RJ). A oficina segue até o dia 19 de novembro. Entre os dias 16 e 18 ela acontecerá das 18h30 às 22h30 e, no dia 19, sábado, será das 08h30 às 12h30, no Centro de Atividades de Palmas (502 Norte).

Mais uma realização do Sesc por meio do Arte da Palavra: Programa Sesc de Criação Literária, “O escrever como processo de identidade”, é uma oficina de leitura e de criação literária que vai utilizar-se da leitura de obras selecionadas, consagradas e outras contemporâneas de autores clássicos, premiados e de novatos. A metodologia consiste na utilização de leituras de textos literários e de ensaios sobre literatura; escrita e reescrita de textos; atividades de criação literária em prosa e em verso; e conteúdos: a prosa e a poesia a serviço da fantasia do leitor; e o escrever como processo de subjetivação e de identidade. A oficina vai trabalhar ainda com livros e com textos, a serem lidos, manuseados e discutidos. A ideia é que cada pessoa possa desabrochar a sua criatividade e criar textos ficcionais e poéticos.

Ninfa Parreiras (RJ)

Natural de Itaúna, (MG), reside no Rio de Janeiro (RJ), onde trabalha em diferentes áreas com a palavra e os sentimentos: a literatura e a psicanálise. Mestre em Literatura Comparada (USP) e graduada em Letras e Psicologia (PUC-Rio), desenvolve pesquisas literárias e trabalha com uma clínica de atendimentos em psicanálise.

Autora de diversas obras literárias e de ensaios, também organiza antologias poéticas. Alguns de seus livros foram selecionados para programas de governo e laureados com o Prêmio 30 Melhores Livros Infantis do Ano da Revista Crescer e o selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Para crianças e adolescentes, publicou: Com a maré e o sonho (RHJ, 2006); A velha dos cocos (Global, 2006); Um mar de gente (Girafinha, 2007, atualmente, Rovelle); Coisas que chegam, coisas que partem (Cortez, 2008); Encontros d´agua: sete contos d´agua (Scipione, 2009); Um teto de céu (DCL, 2009); Poemas do tempo (Paulinas, 2009); O menino no Beco da Pipa (Larousse, 2009); O morro encantado (Paulus, 2010); Com fio (Larousse, 2010); Lá no alto (Positivo, 2011); O mergulho no espelho (Positivo, 2011); Histórias d´além mar (Paulinas, 2013).