Estado

Foto: Imagem ilustrativa

Pensando no meio ambiente e buscando promover cada vez mais a sustentabilidade, a acessibilidade e qualidade de vida, a Justiça Eleitoral do Tocantins realiza mutirão para digitalizar os processos judiciais físicos, organizando-os por categoria, ano e localidade. Já foram digitalizados até o momento os processos físicos da 29ª Zona Eleitoral de Palmas, 24ª ZE de Araguacema, 26ª ZE de Ponte Alta, 23ª ZE Pedro Afonso, 28ª ZE de Miranorte.  

Segundo a chefe da Seção de Biblioteca e Arquivo (Sebia), Maria Zita Rodrigues, os processos separados são os de 2010 em diante, os quais são catalogados e preparados para a digitalização. O trabalho envolve aproximadamente 20 pessoas, entres servidores, estagiários e prestadores de serviços terceirizados. “Com a digitalização a busca pelos processos será mais célere e conseguiremos proporcionar um atendimento mais rápido, além da organização”, ressaltou.

Secretaria

Em outubro de 2012 a Justiça Eleitoral concluiu a digitalização de todos os processos judiciais, dossiês dos servidores e parte dos procedimentos administrativos que se encontravam arquivados.

O processo digitalizado não exclui o físico totalmente, obedecendo ao tempo de guarda, através da tabela de temporalidade de documentos, nos termos da Resolução do TSE nº 23.379/2012 - que dispõe sobre a Gestão Documental no âmbito da Justiça Eleitoral.