Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Repressão a Crimes contra Concessionárias Prestadoras de Serviços Públicos (Derfae), efetuou, na tarde desta quarta-feira, 7, a prisão de Willian L. C., 31 anos de idade. Ele é suspeito pela prática do crime de furto de energia elétrica e foi detido, quando se encontrava em seu estabelecimento comercial, localizado na Quadra 103 Norte, em Palmas. 

Conforme o delegado Elírio Putton Júnior, responsável pelo caso, após realizar uma fiscalização de rotina, uma equipe de funcionários da Energisa, constatou dois desvios de energia elétrica, em uma empresa de fabricação de gelo, a qual é administrada pelo suspeito. A equipe de policiais civis da Derfae foi acionada e, ao chegar ao local, constatou a situação de flagrância. Diante das evidências, os agentes deram voz de prisão a Willian e o conduziram a sede da Delegacia Especializada, onde o mesmo foi autuado em flagrante por furto de energia elétrica.  

Ainda de acordo com o delegado, a quantidade de energia elétrica furtada surpreendeu a equipe de profissionais, que após uma estimativa informal calculou que o prejuízo dado à concessionária de energia poderia estar sendo de quase R$ 8.000,00 por mês. Ao ser ouvido pelo delegado, Willian admitiu que faz cerca de um ano que sua empresa está operando com esse desvio ilegal de energia. 

O delegado Elírio ressaltou que o furto de energia elétrica é considerado um crime grave e que as consequências podem atingir não só aquele que faz ligações clandestinas, os chamados “gatos”, mas também outras pessoas. “É importante salientar que o furto de energia elétrica é um crime grave não só pelo grande prejuízo financeiro que causa, mas principalmente pelo risco que as ligações clandestinas causam à família do infrator e aos vizinhos, devido à possibilidade de causar incêndios”, pontuou. 

O delegado ainda afirmou que a repressão a esta modalidade criminosa será intensificada pela Polícia Civil e quem se encontrar infringindo a lei e quiser regularizar sua situação, deve procurar uma agência da Energisa.