Polí­tica

Foto: Divulgação

Foi aprovado em regime de urgência, na Assembleia Legislativa, durante sessão ordinária, na manhã desta terça-feira, 13, o requerimento do deputado estadual Paulo Mourão (PT), que propõe a criação da Comissão Especial de Estudos, para a discussão de um novo ordenamento econômico, administrativo, social e político do Estado do Tocantins.

Durante a sessão, Paulo Mourão agradeceu o apoio dos parlamentares na aprovação da matéria, destacando ser o momento impar para a rediscussão do Estado do Tocantins. “É necessário que haja um processo de rediscussão, revisão e estudo aprofundado do reordenamento do Estado, por meio de debates de ideias com a sociedade organizada, setor industrial e Instituições de Ensino Superior, em especial a Universidade Federal do Tocantins (UFT), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) e a Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS), porque entendemos que é preciso inserir a ciência e tecnologia, na relação de trabalho e de gestão pública”, destacou.  

O deputado disse que o Tocantins caducou nas práticas políticas e administrativas, destacando que é preciso fazer uma revisão nas ações. “O Tocantins em que pese ser um Estado novo, infelizmente caducou nas suas atitudes e nas suas ações, não tem a capacidade de inovar e criar”, observou. 

Mourão lembrou que o Tocantins passa por um processo extremamente prejudicial em várias frentes de serviços públicos. “O Estado já não consegue prestar serviços públicos de qualidade à sociedade, tanto na segurança pública que não tem funcionado a contento, quanto na saúde que vem enfrentando uma série de problemas e dificuldades, além da educação que está com índice baixo, nas avaliações feitas pelo Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb)”, observou.

O parlamentar ainda reforçou que o papel da Comissão Especial é estimular o Estado a ser repensado de forma republicana e respeitosa junto com a sociedade que hoje se encontra desesperançada. “O Tocantins foi criado, para trazer esperança e fazer o seu povo feliz. Esta casa será não somente um ambiente de reverberar a voz da sociedade, mas também será o fio condutor que irá ligar este momento caduco que o estado já vive, para um momento novo de prosperidade, voltado para ações inovadoras no desejo e na esperança de fazermos um Estado melhor ao nosso povo”, disse.