Campo

Foto: Divulgação

A campanha de vacinação contra a raiva dos herbívoros (bovídeos, equídeos, ovinos e caprinos), que ocorreu de 1º a 30 de novembro, alcançou o índice de cobertura vacinal de 87,82%, nos municípios onde a vacinação é obrigatória: Porto Nacional, Brejinho de Nazaré, Ponte Alta do Tocantins, Monte do Carmo, Colinas do Tocantins, Bandeirantes e Palmeirante. No total, 587.391 herbívoros foram vacinados, dos 668.795 animais existentes.

Para o presidente da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), Humberto Camelo, o resultado é satisfatório, já que a obrigatoriedade da vacinação nestas cidades foi exigida a partir de 2015. “Queremos sempre superar metas para garantir 100% do rebanho imunizado. A vacinação é a forma mais eficaz de prevenção, por isso precisamos fortalecer ainda mais este ato, aliado a consciência dos produtores rurais, para garantirmos a sanidade do rebanho”, destaca.

O responsável técnico pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros (PECRH), José Emerson Cavalcante, explica que os inadimplentes serão notificados, multados em R,32 por animal e R$ 127,69 pela não declaração, além de ficarem impedidos de movimentar seus animais. “Nossos técnicos farão a vacinação assistida dos 12,18% animais restantes, para garantir que todos recebam a dose da vacina” explica.

Desde 2015, a vacinação contra a raiva passou a ser obrigatória em sete municípios do Tocantins. A campanha ocorre anualmente no mês de novembro, indicada para todos os herbívoros, indiferente da faixa etária. Nos casos dos animais que receberam a dose pela primeira vez (primovacinados), é necessária uma revacinação com 30 dias. Lembrando que no restante do Estado, onde a vacinação não é obrigatória, os produtores rurais podem vacinar em qualquer época do ano.