Economia

Foto: Divulgação

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em parceria com a Fecomércio Tocantins, mostrou na comparação mensal que o número de famílias com dívidas em Palmas aumentou 0,5% em dezembro, resultando um total de 68,6% nessa situação.

Já na comparação anual, houve queda de 0,7%, já que em dezembro de 2015 os consumidores que se declararam endividados somaram 69,3%. “Percebemos uma oscilação nos índices da pesquisa durante todo o ano de 2016, e acreditamos que isso se deve ao fato do palmense atuar de maneira mais precavida, em função do momento de recessão que enfrentamos”, analisou o presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni.

Resultados

O total de famílias que se declararam com dívidas em atraso foi de 14,4%, o mesmo resultado de dezembro de 2015. Já o número dos que não terão condições de pagar as contas atrasadas foi de 0,4% e o tempo médio do atraso dessas dívidas ficou registrado em 50,2 dias.

Sobre o período em que estarão comprometidos com dívidas, os palmenses disseram que o tempo médio é de 8,3 meses. A parcela da renda vinculada ao pagamento de dívidas mensais, em média, ficou em 32,8%. Em relação ao tipo de dívida que possuem, a maioria dos consumidores palmenses entrevistados (77,2%) apontou o cartão de crédito, seguido dos carnês (28%) e dos financiamentos de automóveis (26,1%).

A coleta dos dados que subsidiam a PEIC referente a dezembro foi realizada nos últimos 10 dias de novembro.