Saúde

Foto: Divulgação

O calendário de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) para 2017, disponível na rede municipal de saúde, sofreu alterações que já estão valendo desde o dia 02 de janeiro. As mudanças do Ministério da Saúde abrangem a vacina contra o HPV para meninos; Meningocócica C, Tríplice Viral, vacinas contra Hepatite A e Tetra Viral, e a dTp acelular para gestantes.

Confira as mudanças:

Vacinas HPV e Meningocócica C - A principal alteração foi a introdução da vacina contra HPV para adolescentes do sexo masculino de 12 e 13 anos. O esquema de vacinação é de duas doses, com intervalo de seis meses.

Outra alteração importante é a introdução da vacina Meningocócica C para adolescentes de 12 e 13 anos (meninos e meninas). Esta vacina era disponibilizada para crianças até quatro anos.

Vacina Tríplice Viral - A vacina Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) passará a ter esquema de duas doses para adultos até 29 anos. O esquema de duas doses era utilizado apenas para crianças e adolescentes até 19 anos.

De acordo com a Coordenadora da Central Municipal de Vacinação, Elayne Katzwinkel, a introdução da segunda dose para a população de 20 a 29 anos de idade ocorre em função da correção da falha vacinal neste grupo e também pela situação epidemiológica da caxumba nos últimos anos, cujos surtos têm acometido, principalmente, adolescentes e adultos jovens nesta faixa etária.

Vacinas contra Hepatite A e Tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) - As vacinas contra Hepatite A e Tetraviral foram ampliadas até os quatro anos. Até 2016 estavam disponíveis no calendário básico de vacinação para crianças até 01 ano e 11 meses.

Vacina dTp acelular para gestantes - A vacina utilizada para gestantes desde 2014 será disponibilizada em 2017 a partir da 20ª semana de gestação. Anteriormente a vacina era oferecida a partir da 27ª semana de gestação. As mulheres que perderem a oportunidade de vacinação durante a gestação deverão receber uma dose de dTp no puerpério (até 45 dias após o parto), o mais precoce possível.        

Por: Redação

Tags: Ministério da Saúde, SUS, Vacinação 2017