Estado

Foto: Divulgação Prefeitura de Porto Nacional Prefeitura de Porto Nacional

Os servidores públicos de Porto Nacional decidem nesta quarta-feira, 11, como vão receber o salário atrasado do mês de dezembro. Servidores do quadro geral e da educação realizam hoje, no Centro Cultural Durval Godinho a partir das 18 horas, assembleias gerais extraordinárias para escolher uma das duas opções de parcelamento apresentadas pela atual gestão do prefeito Joaquim Maia (PV). Entre as opções estão o pagamento de 50% do salário ainda em janeiro e os 50% restantes no mês de novembro de 2017, ou o pagamento de 50% em janeiro e o restante em dez parcelas a partir de março.

Segundo o prefeito Joaquim Maia, a Prefeitura tem uma dívida de R$ 2 milhões em salários atrasados do mês de dezembro. Na última sexta-feira, 6, Maia convocou os sindicatos que representam os servidores públicos para apresentar as contas do município. “Encontramos a Prefeitura sem ter o pagamento de dezembro realizado pela gestão anterior e sem ter recurso em caixa pra fazer o pagamento", disse o gestor que sugeriu na ocasião o parcelamento dos salários.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (Sisepe/TO,), Cleiton Pinheiro, participou da reunião e sugeriu que a Prefeitura aguardasse o pagamento da primeira parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM,) que caiu na conta da Prefeitura dia 10, para avaliar a melhor maneira de pagar os servidores.

Os sindicatos e a equipe de administração de Maia voltaram a reunir-se na terça-feira, 10, após o crédito do FPM. Durante a reunião surgiram as duas opções de parcelamento que serão levadas hoje pelos sindicatos aos servidores públicos em assembleia. “Além de fazer o parcelamento a prefeitura deve adotar medidas austeras durante todo o ano para recuperar a saúde financeira e não lesar mais o servidor público", defendeu Cleiton Pinheiro.

Também participaram das negociações o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Estado do Tocantins (Sispmeto) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet).