Araguaína

Foto: Marcos Filho

Desde o início de janeiro, a Prefeitura de Araguaína vem promovendo várias reuniões com segmentos empresariais e entidades classistas para falar da destinação correta dos resíduos sólidos, conhecido como lixo. Na tarde de terça-feira, 31 de janeiro, foi realizado mais um desses encontros, onde foi apresentada proposta que facilite aos empresários araguainenses o recolhimento do lixo respeitando a legislação federal.

A proposta da Prefeitura é de fixar um preço mínimo para uma certa quantidade de material recolhido, uma forma de atender a todos sem ter um custo muito alto.

O empresário Heryky Souza André, que atua no mercado tocantinense há dois anos fazendo o recolhimento deste tipo de material e desde outubro do ano passado atua em Araguaína, aprovou a ideia. “Foram colocadas opções, foram discutidas ideias, e eu acredito que a partir de agora com a implantação dessa forma de uma proposta de preço mínimo, que vai atender a todas as classes, tanto pequeno, médio e grande empresário, eu acredito que vai ter uma adesão em massa, uma conscientização em massa regularizando o município de Araguaína”, pontuou Souza André.

Adequações

O secretário municipal do Planejamento, Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, Júnior Marzola, explicou durante a reunião que todas as empresas estejam adequadas e seguindo as normas da legislação federal. “Nossa base de sustentabilidade para o desenvolvimento econômico é o meio ambiente. Então nós queremos construir uma consciência ambiental e que todos também tenham a responsabilidade de se adequarem às normas vigentes, nesse caso específico, à destinação correta do lixo, os resíduos sólidos que devem ser separados de acordo com a sua tipicidade”, afirmou.

Ainda na reunião, Marzola perguntou aos representantes dessas empresas como estava a procura dos empresários para fazer a coleta do lixo seguindo a legislação federal.

O empresário Heryky Souza André explicou que a procura ainda é pequena. “Eu acredito que a partir do que nós discutimos nessa reunião vai tomar um novo rumo. A gente, assim como declaramos, a situação está um pouco solta, não é por falta de informação do Município, mas a reunião foi muito produtiva, porque nós discutimos aqui ideias, uma forma de trazer a legislação vigente”, comentou.

Pioneirismo

Sousa André ainda falou do pioneirismo do Município de Araguaína em orientar os empresários. “Trabalho em três Estados, incluindo o Tocantins, e é o primeiro município a fazer uma reunião dessas, convidando os empresários e esclarecendo sobre este assunto”, disse.

Ainda de acordo com ele, no ano passado, tanto a sua empresa como outras do mesmo segmento expuseram para os empresários araguainenses a necessidade de se adequarem à legislação federal. “De início talvez seria uma falta de informação estas empresas não estarem cumprindo com a legislação federal, mas nós fizemos o nosso papel, eu e alguns colegas, fizemos a divulgação sobre a questão da lei, que o prefeito não estava impondo algo que era dele, mas sim uma legislação que já estava vencida”, declarou.

Reuniões

Ao longo dos últimos quatro anos, a Prefeitura de Araguaína vem se adequando à nova política de destinação de resíduos sólidos (lixo). Já foram realizadas reuniões no Sindicato Rural de Araguaína (SRA), na Associação Comercial e Industrial de Araguaína (Aciara), no Sindicato das Reparadoras de Automóveis (Sindirepa) e com as oficinas de automóveis associadas ao Sindirepa explicando sobre a legislação federal que especifica as normas da destinação correta dos resíduos sólidos.