Estado

Foto: Divulgação

O Estado do Tocantins registrou 55 assaltos a instituições financeiras e bancos postais no ano passado, uma média de um assalto por semana. De acordo com informações da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), até o mês de novembro foram registrados 23 roubos a instituições financeiras; por sua vez, o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos (Sintect-TO) informa que 32 ocorrências, envolvendo assaltos, sequestros e arrombamentos, foram registrados em unidades da empresa. 

Na última semana, dois assaltos a instituições financeiras recolocaram esta modalidade de crime organizado no centro da discussão da segurança pública no Estado. Na madrugada da última sexta-feira, 3, uma agência do Banco do Brasil foi alvo de criminosos no município de Guaraí, quando um grupo composto por dez homens encapuzados assaltou a instituição, tendo arrombado e explodido o cofre. Ainda, fizeram reféns e atiraram contra o batalhão da Polícia Militar. Na quinta, 2, um caixa eletrônico do Banco Bradesco, instalado no prédio da Prefeitura de Sampaio, foi explodido e a suspeita é que os criminosos tenham levado R$ 37 mil.

Estas, porém, não foram as primeiras ocorrências desta natureza em 2017. Exemplo disso foram as explosões de duas agências bancárias no município de Pium no dia 12 de janeiro. Na ocasião, os criminosos criaram um cenário de terror no município, uma das características do que vem sendo chamado de “Novo Cangaço” - uma das modalidades de roubos a bancos, comum no interior dos estados, marcado, principalmente, pelo pânico que as quadrilhas causam nos moradores das cidades por onde passam.

Correios  

Sob investigação no âmbito federal, estão os crimes relacionados às agências dos Correios. Com a implantação do serviço Banco Postal – por meio do qual presta serviços bancários básicos como a abertura de contas, empréstimos, pagamento de benefício do INSS, e recebimento de recebimentos de contas, entre outros - a empresa também virou alvo.  As 32 duas ações criminosas envolvendo os Correios em 2016 superam as 28 ocorrências de 2015, e aumentam a apreensão de quem trabalha ou utiliza os serviços nas unidades da empresa em todo o Tocantins.

De acordo com o Sintect-TO, ao longo do ano foram 22 assaltos a agências, sendo um deles mediante sequestro; sete arrombamentos; e 3 assaltos a carteiros – uma das ocorrências, envolvendo o sequestro do funcionário. Em 2015, o sindicato registrou 17 assaltos – dos quais um foi mediante arrombamento e outro, envolvendo sequestro; e 11 arrombamentos.

Araguaína foi o município com o maior número de ocorrências registradas pelo sindicato em 2016: um assalto a carteiro em janeiro; um assalto a carteiro, com sequestro, no Centro de Distribuição Domiciliária (CCD), no mês de julho; e um arrombamento, em dezembro. Palmas registrou um assalto a carteiro em abril e um assalto ao Centro de Entrega de Encomendas (CEE), em julho. As unidades dos Correios nos  municípios de Ponte Alta do Tocantins, Porto Alegre do Tocantins e Carmolândia foram assaltadas duas vezes, cada uma delas, ao longo do ano passado.

Os demais municípios que tiveram agências alvos de assaltos foram Pium, São Miguel, Pugmil, Juarina, Talismã, Riachinho, Alvorada, Tupiratins, São Valério de Natividade, Lajeado, Pequizeiro, Barrolândia, Brasilândia, Brasilândia e Abreulândia. Por sua vez, também foram alvos de arrombamento agências das cidades de Araguatins, Gurupi, Wanderlândia, Paranã, Natividade e Campos Lindos. A Agência dos Correios de Ponte Alta do Bom Jesus foi alvo de assalto com sequestro.