Estado

Foto: João Lino Cavalcante

O Ministério Público Estadual (MPE/TO), por meio do Centro de Atendimento Operacional às Promotorias de Justiça da Infância e Juventude (Caopij), participou de uma reunião nessa quarta-feira, 15, que discutiu a implantação de um Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual, nas unidades da rede pública de saúde, destinadas a reduzir a exposição das vítimas de violência sexual.

O evento contou com a participação de médicos, enfermeiros, delegados de polícia, além de gestores e servidores das secretarias de estado da Educação e da Segurança Pública. Dentre os principais pontos abordados está a padronização de procedimentos por parte dos profissionais de saúde e da segurança pública, com a proposta de atender as vítimas de violência sexual num único local, tanto no aspecto protetivo, relativo às ações de saúde (DSTs, profilaxia etc), bem como no tocante aos procedimentos policiais.

Para o promotor de Justiça Sidney Fiori Júnior, coordenador do Caopij, é fundamental que o serviço seja implantado nos 18 hospitais do Estado. “É um desafio grande, mas queremos ser pioneiros neste projeto. Ao mesmo tempo em que resguardamos os direitos da vítima, também garantimos provas suficientes para condenar os acusados, autores desses crimes”, comenta o membro do Ministério Público Estadual.

Uma nova reunião foi marcada para a primeira quinzena de março, já com a definição de um cronograma de ações, a exemplo da preparação dos médicos e da equipe hospitalar, e um planejamento articulado para a definitiva implantação do serviço.