Campo

Foto: Divulgação

A Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) juntamente com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) reiniciam nesta semana, dias 8 e 9, as pesquisas e diagnóstico do projeto Pesca e Aquicultura, intitulado de “Conhecimento e Adaptação Tecnológica da Pesca para o desenvolvimento sustentável da pesca artesanal do rio Araguaia, no Tocantins”. Em 2017, a equipe realiza a primeira visita no município de Caseara, região Oeste do Estado.

O projeto de pesquisa iniciado em 2016 tem duração de três anos. No ano passado foram visitados 14 municípios às margens do rio Araguaia, incluindo 11 colônias de pescadores e três comunidades indígenas. As visitas tiveram como objetivo levantar dados referentes aos petrechos de pesca, embarcações, modo de conservação, locais de pesca e espécie capturadas. Na ocasião foi realizado um diagnóstico da cadeia produtiva da pesca, onde foram levantados os principais elos da cadeia e os gargalos existentes da cadeia produtiva da pesca.

De acordo com o gerente de pesca da Seagro, Thiago Tardivo, a visita técnica tem como objetivo levantar dados de custo de produção da pesca artesanal e receitas obtidas pelos pescadores. “A intenção também é acompanhar a pesca com rede de emalhe, principal apetrecho utilizado na pesca artesanal e, realizar atividade de intervenção tecnológica”, disse.

O Gerente explica ainda que, é de fundamental importância o levantamento dos custos receitas provenientes da pesca artesanal. “Precisamos saber até que ponto a pesca artesanal é uma atividade economicamente viável e buscar alternativas de renda para que os pescadores consigam ter uma vida digna e com mais opções de renda”, complementou.