Educação

Foto: Divulgação

A estrutura da Escola Municipal Soldadinho de Jesus, em Paranã, preocupa os familiares das crianças que estudam na unidade. De acordo com informações repassadas ao Conexão Tocantins nessa quinta-feira, 9, por parentes dos estudantes, professores vem alertando as gestões da cidade há algum tempo para a solução dos problemas da unidade, porém, como resultado pela falta de ação, o telhado da biblioteca da escola desabou, na noite da última terça-feira, 7. 

Segundo informações, a escola funciona nos turnos da manhã e tarde e atende cerca de 100 crianças de três a cinco anos de idade. A avó de uma das crianças, que preferiu não ser identificada, disse que, por sorte, o telhado caiu durante à noite, não atingindo nenhuma pessoa. "Graças ao pai celeste, porque minha neta estuda lá. O prédio é antigo e estamos desesperados. Se uma vigota cair numa criança, morre na hora", disse. 

Ainda de acordo com a avó da criança, um dia antes do desabamento, dia 6, o prefeito da cidade, Fabrício Viana (PMDB), retirou dinheiro para arrumar o telhado da escola, "coisa que não aconteceu", contou. Outra informação repassada pela avó é que, no dia 5, dia anterior a retirada da verba, foram trocadas apenas algumas telhas que estavam quebradas. "Colocar a vida desse tanto de crianças em risco. Ele tinha ciência que precisava trocar o telhado. Os professores avisaram que estava estralando a madeira do telhado (da biblioteca)", disse. 

Uma parte do telhado da escola teria sido trocada há pelo menos dois anos, na gestão anterior, segundo informações. 

Prefeito defende-se 

Em entrevista ao Conexão Tocantins na tarde dessa quinta-feria, 9, o atual prefeito de Paranã, Fabrício Viana, disse que, por estar na gestão há apenas dois meses, está tentando resolver os problemas da cidade. O gestor informou que assim que assumiu, mandou que fosse realizado um levantamento dos problemas estruturais da escola para que fossem sanados. "É uma escola antiga, que atende crianças e a gente pediu que uma empresa da cidade fizesse um levantamento porque os pais reclamavam que caia goteira lá, que molhava o colégio. Prevendo isso, pedi o levantamento e nesse levantamento a empresa condenou algumas salas de aula, que tinha a necessidade de trocar o telhado, e foi autorizado e foi trocado, como está no Portal da Transparência. Foi feita a reforma de parte do telhado, mas infelizmente a empresa não atentou para a biblioteca, olhou e achou que não tinha necessidade e o que caiu foi a biblioteca. No outro dia (do desabamento), já mandei arrumar", afirmou o prefeito. 

O gestor informou que todo o resto do telhado está sendo trocado ou reconstruído, e que um engenheiro contratado acompanha os trabalhos na escola. "Graças a Deus que foi à noite e infelizmente não conseguiram identificar essa outra parte (do telhado). É um colégio antigo que vem de muitas administrações e não houve reforma nenhuma e infelizmente aconteceu comigo, em dois meses de mandato. Estou encarando o problema". 

O prefeito ainda informou que foram suspensas as aulas nas salas próximas a biblioteca e que em duas semanas tudo deve normalizar. 

Logo que assumiu o mandato este ano Fabrício Viana decretou estado de emergência por descontrole administrativo e financeiro no município.