Polí­tica

Foto: Divulgação

Usando a tribuna da Câmara de Palmas/TO nesta quinta-feira, 16, o vereador Tiago Andrino (PSB) disse que durante a reunião da bancada federal do Tocantins com o presidente da República Michael Temer, o senador Vicentinho Alves (PR) manifestou-se contra o acesso direto do prefeito Carlos Amastha (PSB) ao Governo Federal, sem a intermediação de integrantes da bancada, devido ao fato do prefeito não reconhecer os esforços do grupo de parlamentares.

Tiago Andrino, que é subordinado ao prefeito Amastha, insinuou que o senador Vicentinho Alves é um despachante, o que irritou o vereador Lúcio Campelo que subiu à tribuna pedindo respeito ao senador que, segundo ele, "é filho dessa terra e já ocupou as cadeiras de deputado estadual e federal, além de ter sido prefeito e exercido o cargo de governador".

Segundo Lúcio Campelo, o que o vereador subordinado ao prefeito não disse, foi que a postura mencionada não ocorreu de forma isolada, mas sim, em uma decisão de toda a bancada, da qual o senador é líder. A decisão, segundo Lúcio Campelo não seria exclusivamente direcionada ao prefeito de Palmas e sim para todos prefeitos do Estado.

Segundo o vereador Republicano, o intuito é que os prefeitos, de todos os partidos, levem as demandas dos municípios aos parlamentares para que juntos busquem nos ministérios a liberação de verbas que ajudarão a sanar os problemas enfrentados no dia a dia pela população tocantinense, "uma forma de unir forças e conseguir resultados de forma mais hábil", frisa lúcio Campelo.

Em sua fala, Lúcio Campelo defendeu o senador Vicentinho Alves pela sua história com o Tocantins, e com Palmas; e lembrou que o Senador já disponibilizou R$ 105.698.536,35 para a capital em emenda parlamentar, o que, segundo ele, não foi exposto pelo vereador subordinado ao prefeito. Segundo Lúcio Campelo, o senador Vicentinho Alves vem fazendo "um trabalho apartidário, ajudando todos os prefeitos que o procuram", disse.

Para Lúcio Campelo, o prefeito de Palmas que, segundo ele, foi tão bem recebido no Tocantins, deve ser mais respeitoso com aqueles que aqui nasceram e ajudaram a construir o Estado. "O senador Vicentinho não pode fazer nenhum tipo de colocação, mas o Amastha pode ir para a rede de rádio dizer que a bancada federal não presta, que precisa trocar senadores, deputados estaduais e federais deste Estado”, disse, lembrando que o município já recebeu mais de 114 milhões direcionados por estes políticos.

Falta de Obras 

O parlamentar republicano lembrou o aumento de 68% da receita da capital em 4 anos e disse que com R$ 3,5 bilhões em caixa, Amastha não conseguiu fazer uma obra na cidade, somente executar os contratos deixados pela gestão do ex-prefeito Raul Filho que na época trabalhava com receita de R$ 1,9 bilhão.