Campo

Foto: Fabiola Dias

A partir do dia 11 de abril, os produtores rurais poderão antecipar a vacinação contra a febre aftosa para os bovídeos (bovinos e bubalinos), que participarão de eventos pecuários. Uma vez que, para transportar os animais é preciso cumprir os prazos da carência pós-vacinação. Os interessados devem procurar a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) e assinar o requerimento para ser autorizado a comprar vacina. Em 2016, o número de eventos pecuários cadastrados na Agência foi de 810, com 623.213 animais fiscalizados.

O rebanho tocantinense conta com 8,7 milhões de bovídeos. A primeira etapa da campanha ocorrerá entre os dias 1º e 31 de maio. De acordo com o presidente da Adapec, Humberto Camelo, o procedimento faz parte dos requisitos sanitários para manutenção do status sanitário, livre da doença com vacinação. “A antecipação beneficia os produtores rurais, que poderão transitar com seus animais nos eventos cadastrados, tendo a garantia da qualidade sanitária de todos os animais participantes”, destaca.

O responsável técnico pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, Márcio Rezende, explica que o pecuarista requisitante deverá vacinar, não só os animais que serão transportados para os eventos, mas todos os bovídeos da propriedade rural. Além disso, comprovar a vacinação na Agência. “A vacinação poderá ser acompanhada, a critério da Adapec. Lembramos que se for requisitado a antecipação e o produtor não encaminhar os animais para o evento, ele deverá justiçar o motivo, sob pena de ter o cadastro suspenso”, disse.

A Agência está presente em todos os eventos pecuários cadastrados: exposições, feiras, leilões, eventos esportivos, entre outros, fiscalizando a entrada e saída de animais, bem como os documentos sanitários específicos, de acordo com cada espécie. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800 63 11 22.

Carência

O cumprimento da carência pós-vacinação para o transporte de animais é obrigatória. São 15 dias para os que receberam apenas uma vacinação, sete dias para os animais com duas vacinações, ficando isentos apenas os que têm mais de três vacinações comprovadas.