Estado

Foto: Divulgação

Mais de 100 pessoas participaram do mutirão de atendimentos, que aconteceu no município de Cristalândia, na segunda-feira, 10. Realizado pela diretoria regional de Paraíso, o mutirão levou Defensores Públicos para ampliar o atendimento na cidade, com orientações jurídicas para todos os Assistidos. Os atendimentos foram realizados pelas defensoras Ítala Graciella e Letícia Amorim, além da equipe de Servidores da regional de Paraíso e Cristalândia.

De acordo com a diretora regional da Defensoria Pública em Paraíso, Ítala Graciella, a principal demanda procurada foi na área da Família, como separação, divórcio, pensão para filhos, regulamentação de visitas e herança, dentre outros. “O balanço é muito positivo, pois já não existe mais fila de atendimento em Cristalândia, após esse mutirão. Com o sucesso dessa edição, vamos programar outras edições de atendimento itinerante na região”, adianta.

Regional

O mutirão é fruto da ampliação de atendimentos na regional de Paraíso. A unidade oferece à população acesso à assistência jurídica gratuita nas áreas Cível, Consumidor, Família, Infância e Juventude e Criminal, além de atendimento de Conciliação, Mediação e atendimento com a equipe multidisciplinar.

De acordo com a defensora pública Ítalla Graciella, a intenção é de que mais municípios sejam atendidos com o mutirão em breve. A regional da Defensoria Pública em Paraíso do Tocantins atende aos municípios de Cristalândia, Abreulândia, Chapada da Areia, Pium, Araguacema, Caseara, Marianópolis, Divinópolis, Pium, Pugmil, Nova Rosalândia, Monte Santo e Lagoa da Confusão.

Defensoria

A instituição conta atualmente com 112 defensores públicos e está presente em 42 municípios do Tocantins, organizados em nove Núcleos Regionais, localizados nas cidades de Araguaína, Araguatins, Dianópolis, Guaraí, Gurupi, Palmas, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Tocantinópolis e um Núcleo de Representação em Brasília. Seu papel é essencial à democratização da Justiça e à própria função jurisdicional do Estado, sendo também um direito e garantia fundamental ao exercício pleno da cidadania. Somente com a presença da Defensoria Pública é possível proporcionar acesso à Justiça a todos.